Religião

Seminário SCJ abre comemorações dos 90 anos da pedra fundamental

Foto: Divulgação

Flávio José Brugnago

Flávio José Brugnago é Editor chefe do JDV e na bagagem carrega mais de 40 anos de profissão. 

O Seminário Sagrado Coração de Jesus deu início no sábado (7) às comemorações dos 90 anos, que seguem até junho de 2022. Uma celebração eucarística com a presença de diversos sacerdotes da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, seminaristas, ex-seminaristas, benfeitores e comunidade foi realizada na igreja, presidida pelo Padre Diomar Romaniv, atualmente em Brusque, uma vez que o Superior Provincial, Padre Gilberto, estava em missão em Rondônia.

A missa em ação de graças foi em agradecimento aos pioneiros e benfeitores, que possibilitaram a construção da obra e a todos os que sucederam e continuam mantendo a bela estrutura, atualmente sede da Província Brasil Meridional dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. A abertura foi feita pelo ecônomo, Padre Cícero Celeste Murara, que traçou um breve histórico e destacou a ousadia dos pioneiros que em 1929 iniciaram a obra em Hansa Humboldt, como Corupá era conhecida, com extrema dificuldade.

A fidelidade foi um dos pontos destacados por Cícero, que permitiu erguer a obra que a partir de 1932 recebeu os primeiros alunos na escola apostólica. O presidente da celebração, Padre Diomar Romaniv, registrou que as comemorações são para fazer memória a todos que de alguma forma contribuíram na construção e manutenção do Seminário, mantendo viva a proposta dos pioneiros.

Diomar lembrou-se dos primeiros dehonianos que vieram em missão ao Sul do Brasil, trazendo na bagagem o fortalecimento da fé católica. A casa de formação religiosa construída em Corupá é um exemplo concreto de que não apenas os que seguiram na vida consagrada, mas também os leigos, receberam uma educação cristã para as suas vidas. A pedra fundamental foi lançada no dia 7 de setembro de 1929. Clique aqui e veja mais sobre o Seminário

Homenagens marcam primeiro momento da lembrança histórica

A segunda parte da celebração deu-se na parte antiga do Seminário, onde está a pedra fundamental com a inscrição LA 1929 (Lápides Angulares 1929). Depois da comunhão, todos seguiram em procissão até o local, onde a celebração foi finalizada, não sem antes serem realizados registros e também algumas homenagens.

O Padre Nestor Eckert, atualmente na sede Provincial, é o responsável pelo levantamento histórico. Coube a ele fazer o relato de fatos históricos, como o lançamento da pedra fundamental em 1929, a inauguração da primeira parte em 17 de janeiro de 1932 e o início das aulas com 76 alunos, cinco padres como professores e três leigos, no dia 11 de fevereiro.

Estima-se que pela escola apostólica passaram em torno de seis mil seminaristas, dos quais entre 450 a 500 se tornaram padres e ou religiosos consagrados. Uma corbélia de flores foi depositada ao pé da pedra fundamental pelo Padre Emerson Guimarães, o último ordenado na Província Brasil Meridional, como homenagem aos pioneiros e benfeitores.

Outro momento emocionante foi a homenagem para o ex-seminarista Adalíbio José Stein, 88 anos, residente no Rio Grande do Sul, representando a todos os que passaram pela escola apostólica. Adalíbio foi seminarista de 1945 a 1951. Ele se emocionou - também a família e os presentes - pela lembrança. Na época o Padre Aloísio era o formador.