Últimas colunas de A J Marchi

ENSINO INDEPENDENTE E LIVRE?

O Ensino brasileiro está na lona, vítima de uma luta sem prioridades. Leis discricionárias e desmedidos cortes de verbas nas últimas três décadas, aproximam o conhecimento da decadência decretada sem precedentes em nosso país. Algo estranho acontece, não por culpa exclusiva das Escolas que experimentam calotes e de professores que sofrem nas mãos de alunos que não podem reprovar por conta de brandas leis ideológico-protetivas, mas certamente, pelo desinteresse coletivo no aprendizado que de novo, nada oferece.

Por A J Marchi

SENSÍVEIS DECIBÉIS - Parte 2

Em um passado próximo, a população irritada e cansada, apelou a todos os meios de comunicação que por sua vez, interpelou os órgãos representativos da sociedade. Como resultado, o ex-prefeito Moacir Bertoldi fez uma válida tentativa para colocar um fim aos buzinaços e aos esporádicos acidentes provocados pela imprudência de uns poucos que de tão incomuns, alardeava a população. O que hoje se vê, são os restos de uma boa ideia abandonada pelas administrações posteriores...

Por A J Marchi

SENSÍVEIS DECIBÉIS - Parte 1

Como se sabe, há um crescente desrespeito à paz pública, com ruídos excessivos em quase todos os dias e horários com o ladrar de cães, buzina de caminhões e de locomotivas, e principalmente com a utilização de aparelhos sonoros em veículos, residências, bares, igrejas, inaugurações e festas com a utilização de fogos de estampido, etc. Ao contrário da crença popular, o sossego público deve ser respeitado em qualquer horário, seja dia ou noite, em dia de semana ou fim de semana. Na verdade, não importa o dia ou o horário, mas, o limite do ruído medido em decibéis, em se tratando de lei sobre poluição sonora.

Por A J Marchi

FINADOS

É tempo de reverenciar aqueles que se foram e de confortar aqueles que os tenham perdido. Mas é tempo também de refletir sobre o tempo! O mesmo tempo que multiplica expectativas, divide sentimentos, adiciona conhecimentos, mas subtrai nossa existência.

Por A J Marchi

E O TURISMO JARAGUAENSE, COMO VAI?

O documentário Roteiros pelo Mundo, protagonizado por Pedro Andrade e reproduzido no GNT Play, e disponibilizado no YouTube sob o título, Um tour incrível pela Geórgia, atraiu minha atenção. Devido a alguns acidentes geográficos similares, lembrei-me imediatamente de Jaraguá do Sul. Tbilisi, a capital da Geórgia, fascina quem a visita pela engenhosidade em ligar o novo ao antigo. A resiliência e tolerância ao tradicionalismo e ao moderno conceito de se viver em sociedades plurais, faz dela a queridinha do Turismo Mundial, deixando a comer pó, muitos ícones turísticos conhecidos.

Por A J Marchi

A PEQUENA ALEMANHA RENASCE PARA O TURISMO!

Foi inevitável prestar atenção à charmosa Pomerode durante o 15º Festival Gastronômico, quando percebi, quão empenhados estão os munícipes em transformá-la em um disputado Polo Turístico aos moldes de algumas conhecidas cidades gaúchas e fluminenses. Hoje em dia, o Turismo é uma das principais atividades econômicas em todo o planeta.

Por A J Marchi

ALÉM DE UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA

Um ano atrás, visitei uma Escola Estadual de Ensino Elementar em um município próximo. Ao adentrar a uma das salas, percebi o quão relapso é o fator qualidade para o aprendizado. O flagrante descaso do Estado para com a saúde daquelas crianças me fez raciocinar em vez de ampliar meu ódio. Os insetos, do maruim ao borrachudo, carcomiam a pele de inocentes fazendo lacrimejar docentes que pouco ou nada poderiam ter feito além de heroicamente repassar conhecimento em meio ao caos ...

Por A J Marchi

APOSENTADORIA OU MORTE?

Não! Nenhuma destas terríveis opções, pois Ouro de Tolo, já cantava com sua maluquês o irreverente Raul Seixas: Tente! E não diga que a vitória está perdida se é de batalhas que se vive a vida/Vá! Tente outra vez! Pois, é só você olhar no espelho pra se sentir um grandessíssimo idiota ao saber que é humano, ridículo, limitado e que usa somente dez por cento de sua cabeça animal/ E você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial que está contribuindo com sua parte para o nosso belo quadro social/ Eu é que não me sento no trono de um apartamento com a boca escancarada e cheia de dentes esperando a morte chegar/Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais, há sempre algo a ser feito. Quem não tem colírio, usa óculos escuros! E eu vejo acima deles que, quem não tem papel, dá o recado pelo muro, pois quem não vive o presente, se conforma com o futuro. Quantos de nós enquadram-se nessas letras? Com certeza, muitos! Olhando no retrovisor do tempo até onde nossa imaginação alcance, a memória ajude e a história também, veremos que nada sabemos sobre nossos antepassados...

Por A J Marchi

A PEQUENA HISTORIA DE UM GRANDE INVENTOR

Sol. Dia perfeito para um pedal pela ciclovia. Não satisfeito com a ergonomia, parei para ajustar o selim. Fiz aquela simples operação de desblocagem e blocagem tão rápida quanto automática sem me dar conta de que estava voltando no tempo! Em 1927, o italiano Tullio Campagnolo inventou a alavanca de blocagem de selim e rodas de bicicletas. O dispositivo Quick Release - troca rápida - viria a facilitar em muito a vida dos ciclistas que, além de sacar e repor as rodas rapidamente, teriam a possibilidade de ajustar a altura do selim sem que para isso precisassem de ferramentas...

Por A J Marchi

SALTO DO YUCUMÃ: Uma visão inusitada

Num certo feriado, tive oportunidade de conhecer o que há depois daqueles montes à beira daquele rio! Destino, roteiro e pontos de interesse programados. Horários nem tanto! Decididos pela Serra do Mar, seguimos os contrafortes até os Campos de Cima do além Mafra sentindo agradáveis aromas das araucárias com suas pinhas que ao longo do extenso planalto deixam o belo mais verde e o verde mais singelo! Tão perto, embora tão distante do cotidiano de quem vive no litoral, o Planalto Serrano nos eleva aos puros ares de um horizonte límpido e ensolarado. Subindo mais, chegamos ao extremo norte colado às bordas paranaenses. Quase girando, descemos ao sul cruzando o coração das "Terras Santas de Catarina"...

Por A J Marchi

RICARDO FELDENS: Uma vida em forma de música

Minha vida é a música - respondeu-me com seu sincero sorriso aquele honorável mestre de 76 anos em uma de suas aulas de violino na Casa da Música! - Qual nota musical, para não dizer arpejo, representaria sua trajetória? Fiquei sem resposta! Ricardo Feldens deixou-nos órfãos de "do a si" com uma enigmática escala para decifrar! Talvez eu nunca saiba, porém, sua existência final foi mais que uma evidência daquilo que se anunciava...

Por A J Marchi

Notas

PLANO DIRETOR - A Prefeitura de Guaramirim, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano realizou ontem (6), a penúltima audiência pública de apresentação do Plano Diretor. O próximo (e último) acontece no dia 13 de novembro, na Câmara de Vereadores. Com ela, fecha as cinco audiências previamente programadas, onde os participantes se envolvem e discutem sobre este instrumento norteador da política de desenvolvimento municipal.

Vereador quer áreas de alagamentos mapeadas - O vereador Celestino Klinkoski mostrou preocupação com os alagamentos causados pelas chuvas do último final de semana em Jaraguá do Sul. Segundo ele, o volume de precipitação chegou a 55 mm no domingo à tarde e vários pontos da cidade sofreram com a água. Ele citou como exemplo um local no bairro Rio da Luz onde os moradores ficaram isolados por conta da enchente. O parlamentar lembra que já pediu à Prefeitura que restaure a tubulação da localidade e que troque por tubos novos, porém não foi atendido.

Klinkoski sugeriu que o município faça um trabalho de identificação dos locais de maior risco de alagamento. A partir desse mapeamento, a Secretaria de Obras poderá realizar a limpeza das tubulações e as obras de drenagem para evitar novos transtornos. O vereador também pede que a população ligue na Ouvidoria da Prefeitura (0800 642 0156) para que se possa fazer o mapeamento. Ele alerta que essa foi a primeira grande chuva que ocorreu neste semestre e que há muitas outras por vir com o verão que está por vir.

Estado vai duplicar trecho da SC-108 na região de Joinville - A ordem de serviço para início da obra de restauração e duplicação da SC-108, em Joinville foi assinada na terça-feira (5) pelo secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler. A iniciativa faz parte do programa Novos Rumos, um pacote de intervenções estratégicas do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura catarinense.

O trecho, de pouco mais de 5 quilômetros, liga a BR-102 ao Distrito Industrial de Joinville onde estão localizadas mais de 200 empresas. O processo licitatório começou em 2017, mas só foi finalizado em 2018, aguardando desde então a ordem de serviço.

Atualmente sem qualquer manutenção, é por este trecho da rodovia que escoa boa parte da produção industrial do município. As obras se estenderão do entroncamento da BR-101 até a Rua Tenente Antônio João, passando pelas Ruas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister, e o acesso à Rua Dona Francisca.

 

Tubulação maior para escoamento - O vereador Arlindo Rincos (PSD) criticou a Administração Municipal em continuar implantando tubos de 40 centímetros em vias estruturais do município. Ele mostrou imagens que moradores fizeram no último final de semana mostrando alagamentos em vários pontos de Jaraguá do Sul. Segundo ele, as ruas foram alagadas com menos de meia hora de chuva intensa. Rincos lembrou que ele foi autor de um projeto de lei que proibia o município de implantar tubos com menos de 80cm nas vias estruturais da cidade, porém o projeto não foi aprovado porque esta é uma matéria em que apenas o Executivo pode deliberar. Ele pediu que a Prefeitura envie um projeto nos mesmos moldes para a Câmara, lembrando que o custo não sofre grandes variações pela bitola dos tubos.

Juraszek informa compra de saibreira - O vereador Eugênio Juraszek anunciou que o projeto de lei que vai permitir à Prefeitura comprar uma saibreira no Garibaldi na Câmara, o que vai possibilitar a retirada do material para a macadamização das ruas, principalmente nas áreas rurais. A ideia, segundo disse, é que o projeto seja votado ainda na sessão de quinta-feira (7). Juraszek observou que a luta para a aquisição é de oito anos, pelo menos. Outra observação refere-se à análise prévia do solo nas ruas que recebem pavimentação, o que dá segurança de que a deterioração não ocorra como até então.

 

Agenda

Ver todos