O COLECIONADOR DE VESPAS

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

    

    Não é comum, embora não seja raro, surgir do ódio, uma paixão. Foi o que aconteceu com o italiano Marco Fumagalli, de Seregno, perto de Milão. Marco cresceu respirando o cheiro de motores na oficina mecânica de seu pai, e embora predestinado a segui-lo, odiava a scooter Vespa pelo que ela significava para ele. Imaginava que, por ser um conceito antigo, não era seu estilo, portanto, fora de moda. Porém, um anúncio no jornal Corriere della Sera que destacava a Vespa 50 Special, influenciou fortemente sua vida. A publicidade em torno da nova Vespa50, exaltando seu design, a facilidade para embarca-la e a produção de uma serie especial de 3ooo exemplares, transformou seu ódio em objeto de desejo que acabou sendo sua recompensa por ter sido aprovado nos exames escolares em 1990. A beleza fez o resto, e Marco, então com dezoito anos, se apaixonou tanto pela scooter, que começou a se interessar pela marca italiana, um ícone mundial.  

     Desenhada pelo engenheiro Corrado D'Ascanio em abril de 1946, e colocada em produção por Enrico Piaggio, essa scooter não mais saiu de cena, tornando-se não apenas o veículo de duas rodas mais famoso do mundo, como também, o design industrial de maior sucesso de todos os tempos. A simplicidade de sua construção, aliada ao essencial para a sua funcionalidade, fez da Vespa, um mito. Tanto, que ao longo do tempo, apareceram duas versões para o enigmático nome da scooter. Uma, faz referência a forma de inseto, para quem a observa de cima. Outra, sugere o ruído do motor, lembrando o produzido pelo inseto. Sem dúvida, as duas versões se sustentam!

     Perguntado sobre como e por que começou a colecionar Vespas, Marco alega que foi o saudosismo pelos tempos da Dolce Vita que conheceu através de filmes em preto e branco que documentavam uma Itália em grande agitação pós-guerra, especialmente, com artistas hollywoodianos pilotando Vespas pelas ruas de Roma. Aliado a este fato, sua mudança de atitude deveu-se, também, ao aniversário de 50 anos da marca.

     Em 1999, começou a pesquisar sobre a Vespa e a caçar modelos antigos e obsoletos por oferecerem mais charme, mas que haviam sido abandonados ou deixados para enferrujar. Escaneava anúncios de jornais em busca de pechinchas e escavava fundos de celeiros no Piemonte e na Lombardia. Costumava sair aos domingos e chegar em casa com a van cheia de Vespas que as pessoas lhe davam ou que comprava por muito pouco. Sua paixão pela marca cresceu ao longo dos anos, e o tempo recompensou a determinação e o faro do colecionador pela presa. Graças à Internet e uma rede de amigos, conseguiu estender seus horizontes, pesquisando e comprando os modelos que a Piaggio projetou e espalhou no mercado. Conseguiu resgatar modelos raros, como as 125 e 150TAP, a 125 de 1951 (farol baixo) utilizada no filme “De Férias em Roma”, a Vespa de 98cc de 1946, certificada em expressivos 50 mil euros, e o fascinante modelo militar GS150. E assim, Marco montou uma coleção de mais de 130 modelos e inúmeros objetos da marca e um arquivo de material histórico do primeiro ano de produção até os dias atuais. Perguntado sobre um sonho na gaveta, respondeu: “Eu diria impossível, mas nunca diga nunca! Uma Vespa Sei Giorni de 1951. ” Modelos que representam um dos símbolos da identidade italiana, significam, um museu, mas, os fanáticos seguidores da marca Vespa terão de se contentar com as pequenas instalações das quais Marco Fumagalli dispõe no momento, um espaço extremamente valioso em sua própria casa. Por enquanto, ele compartilha seu entusiasmo como colecionador particular através do Milan Vespa Club.

*Dedicado aos colecionadores por resgatarem e preservarem nossa memória cultural.

Notas

Acijs elege diretoria - A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs) realiza na segunda-feira (17), assembleia geral ordinária para a eleição da nova diretoria para o período 2020-2021, quando a atual diretoria apresentará um balanço das atividades realizadas na gestão que está sendo concluída. A solenidade de posse da diretoria ocorrerá no dia 27 de fevereiro, às 19h30, no Cejas, local da assembleia de segunda-feira. Pela primeira vez na história da entidade, o evento de posse está sendo preparado pelos Núcleos Empresariais. Para o presidente Anselmo Ramos, esta será uma oportunidade para que associados e comunidade possam conhecer e com isto valorizar ainda mais o trabalho dos núcleos, já que toda a solenidade será tematizada a partir de segmentos representados pelas empresas associadas.

Sesc abre as portas com atividades livres no sábado - No sábado (15), as 35 Unidades do Sesc Santa Catarina realizam simultaneamente o evento “Sesc Recebe”, das 10h às 17h. Será um dia repleto de bem-estar, com atividades gratuitas para todas as idades. Além disso, as atividades com restaurante, como em Jaraguá, será servida feijoada no cardápio do meio dia. A biblioteca e a galeria de artes estarão abertas durante todo o período, haverá aulas de musicalização, jogos teatrais, iniciação ao teatro, dança, recreação, academia e piscina, ginástica, futsal, voleibol, degustação de chás, oficina culinária kids, receitas de lanches para o verão, oficina de smartphone, avaliação odontológica, oficina de robótica e de inglês, mais o Brique do Sesc e atividade de educação infantil.

SALÃO BARG – A Sociedade Recreativa e Cultural Rio da Luz (Salão Barg) realiza no dia 8, sábado, a festa de rei e rainha. Começa às 18h com a concentração e às 18h30 a marcha em busca do rei Vilmar Volkmann e dos cavalheiros Marciano Jahn e Irineu Wulf e da rainha Ingrid Volkmann e princesas Marina Jahn e Rosane Wulf, sob o comando de Almir Kickhoefeld. A Banda GBD fará a animação.

SOCIEDADE ALVORADA – É neste sábado (8) a festa de rei e baile, a partir das 14h. Meia hora depois inicia a marcha em busca da majestade, Mário Kuester. O baile terá a animação do Grupo explosão e na sequência, a Banda Brilha Som. Ingressos antecipados a R$ 20,00 nos locais de costume. A Sociedade Alvorada fica no Rio Cerro II.

ABRH traz Thiago Rodrigo para palestra no Cejas- Treinador comportamental e empresário, Thiago Rodrigo estará em Jaraguá do Sul no dia 20 de fevereiro, na Scar, para ministrar palestra promovida pela ABRH, que tem como tema deste ano “Gente que ama gente”. Teólogo, sociólogo e filósofo, o palestrante percorre o Brasil com suas palestras e reúne mais de meio milhão de inscritos no YouTube. Thiago afirma que o único caminho para a felicidade é tocar o coração do outro. Com esse evento, a ABRH-Jaraguá do Sul dá início ao calendário 2020, que conta com cursos profissionalizantes, visitas técnicas e grupos de estudos com profissionais de diversas empresas, workshops que integram conhecimento e experiência, palestras, feira de oportunidades, cases e muito networking. O evento está marcado para as 19h30min. O investimento para associados, idosos e estudantes (meio entrada) é R$ 30,00 e não associados, R$ 60,00. Informações pelo e-mail [email protected] ou telefone 3370-1862.