Menu
Quinta-feira | 19/04/2018 « Voltar
Coluna 13/12/2017
Catiani Luiz - Logosofia.

A suavidade na Convivência Humana

Projete em sua tela mental a imagem de um pé de algodão, o que consegue imaginar sem tocá-lo? Depois disso, pegue um pedaço de algodão e o sinta entre os dedos, o que consegue sentir e pensar? Com a imagem do pé de algodão, consigo imaginar leveza, maciez, calma e paz, e ao sentir o algodão entre os dedos, a suavidade é comprovada. Agora se imagine tocando um espinho, o que sente? Ao imaginar algodão e espinho, me vem à mente como cada um deles demonstra características próprias que remetem a sensações diferentes. Na natureza, observamos tanto algodão quanto espinhos. Na vida do ser humano também existem essas diferenças e podem ser traduzidas analogamente em suavidade e brusquidão, que causam, na convivência humana, pensamentos e sentimentos muito distintos para quem os recebe.

A Ciência Logosófica define a suavidade como a virtude chamada a nos ajudar a superar a deficiência psicológica da brusquidão: “embora apontemos como antideficiência [da brusquidão] a suavidade, que é sua oponente mais apropriada, isso não implica precisamente que por si só ela aja como antídoto. Tal como acontece com as demais deficiências, quem aspira a corrigi-la deve prestar especial atenção a seus pensamentos e, se tem consciência de sua brusquidão, trate no possível de ser suave, freando a tempo todo impulso contrário.” * Tenho comprovado que esse simples movimento pode trazer inúmeros benefícios à vida em todos os nossos convívios. No entanto, mesmo sabendo que nada seríamos sem os demais seres, por que muitas vezes apresento espinhos em vez da maciez do algodão para com os outros?

Venho aprendendo com a Logosofia a observar minha conduta e estudar minhas reações, pensamentos e sentimentos. Tenho conseguido identificar a atuação de deficiências psicológicas, e essa prerrogativa de poder me conhecer tem possibilitado atuar modificando aquilo que não está bem, ou seja, se tenho uma atitude brusca posso pensar sobre o ocorrido e me esforçar para atuar de forma suave na próxima situação. Dessa forma, posso acrescentar, a cada dia, um traço a mais de suavidade na minha herança individual (como a suavidade do algodão!). Virtude essa que torna a convivência humana mais feliz.
*Ciência Logosófica

Catiani Berwanger Balbom Luiz - Estudante de Logosofia


Opnião - Fundação Logosófica

« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois