Menu
Quinta-feira | 19/04/2018 « Voltar
Coluna 11/04/2018

Dicas para Iniciantes

Recentemente li um texto na Internet com o seguinte título: “As melhores formas de investimentos: 11 dicas para iniciantes”. Muitas pessoas nem sabem por onde começar. O brasileiro na maioria das vezes, opta pela poupança, principalmente, por 3 motivos: simplicidade, praticidade e desconhecimento. Abaixo compartilho algumas delas e que podem lhe ajudar:

1. Estude – Para que possas saber investir melhor seu dinheiro, deves ter um conhecimento mínimo de alguns termos financeiros, entre eles: rentabilidade, risco e liquidez. Estude e busque informações sobre os diversos tipos de investimentos existentes no mercado financeiro.

2. Pesquise bastante – Faça-se as perguntas para si mesmo: “Quero resgatar meu investimento no curto, médio ou longo prazo? Estou disposto a correr riscos? Que tipo de rentabilidade quero”? Busque um produto que se adapte ao seu perfil. Se está procurando investir no curto prazo sem correr muitos riscos, a sugestão são os títulos públicos, já que contam com grande previsibilidade e liquidez diária. Para investimentos para o longo prazo, uma opção é a previdência privada.

3. Acompanhe seu investimento – Um dos maiores erros é estudar muito sobre o mercado financeiro, pesquisar sobre os produtos oferecidos por diversas instituições financeiras, buscar a opinião de profissionais especializados, e depois de tomar sua decisão, nunca mais voltar a pensar em seus investimentos. A recomendação é que os investimentos sejam reavaliados semestralmente, ou uma vez por ano.

4. Adote uma estratégia – A estratégia é especialmente importante para quem deseja começar a investir em ações, mas também ela é importante para qualquer tipo de investimento. Deves escolher um caminho e ser coerente com relação às suas escolhas.

5. Tome cuidado com a inflação – Outro erro também muito comum cometido por investidores iniciantes é desconsiderar a inflação quando comparam produtos ou calculam os retornos que esperam obter do investimento. Não compare investimentos que já utilizam a inflação como indexador com os que não utilizam, e também se lembre de incluir a inflação nos cálculos no momento de saber quanto o seu dinheiro rendeu.

6. Não se esqueça dos tributos – Além da inflação, os investimentos também estão sujeitos à tributação, principalmente Imposto de Renda. Alguns tipos de investimentos possuem alguns incentivos, como exemplo a previdência privada (no caso de um VGBL, após 10 anos, e se optares pela tributação regressiva, seus rendimentos sofreram incidência de 10% de impostos). Informe-se bastante antes de optar por um investimento. Tenha certeza que o desconto de impostos pode fazer uma grande diferença.

7. Calcule os custos de cada investimento – Além dos impostos e da inflação, um investimento também tem custos administrativos, que devem ser descontados dos rendimentos para que possas discernir entre as melhores formas de investimento. Entre os custos estão: emolumentos, taxas de administração, taxas de administração, taxa de liquidação, taxa de custódia, taxa de performance e outros.

8. Considere contratar uma consultoria – Considere avaliar a possibilidade contratar uma consultoria para apoio.

9. Identifique seu perfil de investidor – Procure identificar qual o seu perfil de investidor. Analise sua tolerância a exposição a riscos. Pessoas que não admitem nenhum tipo de perda, por exemplo, se enquadram na categoria conservadora, devendo evitar opções mais arriscadas na hora de investir, como o volátil mercado de ações. Investidores iniciantes que admitem perder algum dinheiro em nome de uma alta rentabilidade, por outro lado, podem ter perfil moderado ou arrojado, dependendo da tolerância que têm a riscos.

10. Diversifique – Lembre-se do ditado: “Nunca coloque todos os ovos na mesma cesta”. Componha a sua carteira de investimentos com produtos variados e separe-os de acordo com seus objetivos (curto, médio e longo prazo).

11. Conheça opções para quem está começando – Entre algumas aplicações recomendadas para quem está começando a investir estão o Tesouro Direto, o Certificado de Depósito Bancário (CDB), a Letra de Crédito Imobiliário (LCI), a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e o Fundo DI (um tipo de fundo de investimento).

Faça bom uso das dicas acima. Sinta-se à vontade para entrar em contato através do e-mail: cmwatzko@hotmail.com. Até a próxima.

Cristiano Mahfud Watzko - cmwatzko@hotmail.com


Cristiano Mahfud Watzko

« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois