Menu
Terça-feira | 21/08/2018 « Voltar
Coluna 26/07/2018

Educação Financeira

Compras cotidianas: Meios de pagamento

Na última sexta-feira (dia 20/07/2018) o Jornal “Valor” publicou artigo com o seguinte título: “Dinheiro em espécie lidera em compras cotidianas”. O artigo possuía um quadro com percentuais de compras, com os seguintes dados: 96% utilizam dinheiro em espécie, 52% - cartões de débito, 46% - cartões de crédito, 23% - débito automático, 16% - transferência eletrônica, 11% - vale refeição ou alimentação e 7% - outros meios. (Obs.: Independentemente da frequência, questão admitiu múltiplas respostas). A pesquisa ouviu 2.000 pessoas em abril (público-alvo: adultos de municípios com mais de 100 mil habitantes e caixas de comércio) e foi realizada pelo Banco Central e tinha o seguinte tema “O brasileiro e sua relação com o dinheiro”.

81,5% dos entrevistados acredita que o dinheiro em espécie é a forma mais vantajosa de pagamento quando se considera a obtenção de descontos nas compras. E claro que quanto maior o valor da compra, menor é a frequência do uso do dinheiro. Contudo, o dinheiro vivo é meio predominante nas compras entre R$ 100 e R$ 500, com frequência de 42% dos entrevistados, e só perde para o cartão de crédito nas transações acima desse valor, com 31,3% de preferência (contra 42,6% do cartão).

O chefe adjunto do Departamento do Meio Circulante do Banco Central, Fábio Bollmann, mencionou que estes dados evidenciam a importância do dinheiro em espécie no Brasil. Segundo ele, dados internacionais mostram que as formas de pagamento podem ter mais relação com hábitos culturais do que com renda. Por exemplo, na Suécia praticamente 100% dos pagamentos são feitos por cartão, enquanto na Alemanha o uso do dinheiro em espécie ainda é relevante.

No Brasil, a correlação fica mais evidente. A faixa de renda familiar mais baixa, de dois salários mínimos, é a que tem a maior parcela (76%) usando o dinheiro em espécie com mais frequência, enquanto a faixa entre mais de 10 salários até 15 salários mínimos tem a menor parcela (13,8%). Ainda foi questionado aos entrevistados como eles lidam com o dinheiro. Sendo que 34% disse que carrega até R$ 20 em notas na carteira, 34% anda com R$ 20 A R$ 50, e em moedas, a maioria (32%) carrega entre R$ 2 e R$ 5. Veja que dado interessante: O Brasil atualmente possui um estoque de 25,7 bilhões de moedas, dando uma média de 126 moedas por habitante, segundo o Banco Central.

Estima-se que deste total, 8 bilhões de unidades estão fora de circulação, principalmente guardadas em latas e cofrinhos ou até mesmo perdidas. É “louvável” a iniciativa de muitos brasileiros, de poupar pequenos valores em casa, mas, sempre que possível, troque as moedas por cédulas de maior valor, para que assim, o volume de dinheiro disponível para trocos e pequenos pagamentos aumente. Caro leitor, qual seu meio de pagamento preferido? A resposta é sua. Porém, mais importante do que o meio que utilizas é saber utilizar com sabedoria e controle o seu dinheiro, lembre-se sempre da máxima “gaste menos do que ganhas”. Desejo sucesso financeiro ao (a) leitor (a).

Sinta-se à vontade para entrar em contato através do e-mail: cmwatzko@hotmail.com. Até a próxima.


Cristiano Mahfud Watzko

« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois