Menu
Quinta-feira | 15/11/2018 « Voltar
Coluna 06/11/2018

Superendividados

Na segunda-feira pela manhã, por alguns minutos fiquei pensando o que escrever no espaço desta semana. Foi quando da minha leitura diária, li o seguinte artigo: “Superendividados: 30 milhões já não podem mais pagar suas dívidas”. Não existe milagre para sair de uma bola de neve financeira, na verdade a solução é simples, qual seja, o endividado deve cortar suas despesas e organizar suas finanças. Veja o trecho que segue: “Resultado de gastos com cartões de créditos, financiamentos, empréstimos, ou do uso do cheque especial, 61,4 milhões de brasileiros estão endividados e com alguma conta em atraso, segundo a consultoria Serasa Experian.

Mais chocante é o número de consumidores que estão superendividados, ou seja, que não possuem mais condições financeiras de pagar suas dívidas. De acordo com o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), o total de brasileiros nessa situação é de aproximadamente 30 milhões. Isso quer dizer que quase 15% da população se encontra em uma bola de neve financeira”. O superendividamento acontece quando o consumidor contrata dívidas que superam sua renda e seu patrimônio. Quando não se consegue quitar ou pelo menos amortizar o saldo devedor, os juros fazem que o débito cresça de forma exponencial.

O saque recente do PIS/Pasep e a chegada do pagamento do 13º salário, podem ajudar para que o total de brasileiros endividados diminua. O que fazer: A resposta é uma palavra: “Cortar”. Compartilho trecho importantíssimo do artigo citado: “É a primeira coisa a se fazer quando se é um superendividado. O problema que parece exclusivamente pessoal também aflige o sistema financeiro. Afinal, esses 61,4 milhões de pessoas negativadas devem, segundo a Serasa, 268 bilhões de reais. E 28,5% desse total é para bancos e emissores de cartões de crédito.

Por isso, o Banco Central criou um guia prático para “Sair do Superendividamento”. As dicas da autoridade monetária são: eliminar por completo o desperdício – em situações de superendividamento, também é prudente cortar despesas não essenciais; aproveitar o 13º salário para quitar dívidas; trocar dívidas por outras com juros menores; adquirir o hábito de comprar à vista; e, se tiver um carro, e ele não for instrumento de trabalho ou essencial para sua vida, não hesitar em vendê-lo”.

Caso esteja endividado, primeiro passo é assumir que tens uma dívida maior que sua renda disponível e que queres sair do ´atoleiro`. Pare e faça um diagnóstico. Encare o problema. Deixe claro para todos da família, a real situação. Todos precisam e devem ´apertar os cintos`. Coloque as contas em ordem e por tipo. Após, organize as dívidas por taxa de juros e por tipo de garantia (como um carro ou uma casa atrelada ao financiamento). Na sequência busque renegociar suas dívidas e reduzir as taxas de juros, se possível, bem como, alongar o prazo para pagamento. Saiba que com disciplina, força de vontade, persistência e resiliência, é possível sair do ´buraco` que se encontra. Principalmente, lembre-se que a mudança de comportamento é essencial.

Sinta-se à vontade para entrar em contato através do e-mail: cmwatzko@hotmail.com. Até a próxima.


Cristiano Mahfud Watzko

« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois