Menu
Quinta-feira | 15/11/2018 « Voltar
Notícia . Geral 08/11/2018

Como a moda será sustentável no futuro

O mundo da moda, sendo uma indústria que afeta a economia global, está constantemente a se alterar para adaptar as necessidades e expectativas dos seus consumidores. Como iniciativa, designers e publicitários de moda solicitam modelos das mais diversas estruturas físicas numa tentativa de promover uma imagem mais diversificada e mais saudável para a indústria da moda. Marcas internacionais como a Dove foram pioneiras neste conceito, e cada vez mais empresas têm aderido à tendência.

Sendo uma indústria em constante mudança, era de esperar que o conceito “sustentável” fosse surgir como a próxima etapa para inovação da indústria. Sustentabilidade é definida como um abastecimento renovado do conjunto de substâncias necessárias para a conservação da vida, por outras palavras, utilização de materiais sustentáveis em que tanto a sua produção, uso e reciclagem não têm um impacto negativo no ambiente.

Moda chega a alcançar receitas no valor de um trilhão de dólares anualmente, e sendo uma indústria de uso intensivo dos mais variados recursos, é crucial encontrar materiais mais sustentáveis como alternativa dos usados tradicionalmente. Uma das principais razões para tal iniciativa é devido ao grande impacto ambiental e pegada de carbono causado pela indústria, que precisa de ser abordado e reparado. Na verdade, moda é uma das indústrias mais poluentes do mundo, mas diversas marcas já anunciaram o seu objetivo de se tornarem 100% sustentáveis até o ano de 2030, havendo já bastantes marcas de roupa sustentáveis disponíveis nas lojas físicas e online.

É essencial que a indústria caminhe na direção de práticas mais sustentáveis, mas por um lado, não parece muito realista uma inovação 100% sustentável. Sendo uma indústria tão requisitada a nível mundial, os primeiros passos serão focados na redução do consumo em geral em conjunto com modelos de produção mais circulares - inspirado no modelo de reciclagem. Tem sido uma boa iniciativa por parte dos maiores eventos de moda globais de restringirem os materiais permitidos durante as passerelles. Tal foi o caso durante a London Fashion Week, onde pelo de animal foi excluído de poder ser apresentado em qualquer peça de roupa que marcasse presença no desfile de moda, depois de promessas feitas por grandes marcas como Gucci, Versace e Burberry.

Outro exemplo, é o caso da Adidas e da G-Star Raw que desenvolveram produtos utilizando plástico do oceano, uma linha que tem tido bastante popularidade entre os consumidores. Cada vez mais se procuram novos materiais para substituir o tradicional algodão, um dos recursos mais comuns na indústria da moda, no entanto, este recurso requer elevadas quantidades de água e outros materiais sintéticos como poliéster que são feitos a partir de fontes não renováveis como petróleo. Depois temos materiais como viscose, que em grande escala resulta em desflorestação, ameaçando o habitat de diversas espécies animais e árvores. Desperdício de água é um dos problemas mais alarmantes no que toca à indústria da moda, mas cada vez mais empresas utilizam todos os seus recursos na investigação de materiais mais sustentáveis para a fabricação de roupa.


« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois