Menu
Segunda-feira | 10/12/2018 « Voltar
Notícia . Especiais 11/10/2018
Imagem: FJBrugnago/JDV

Embaixador e Cônsul instalam o Consulado Honorário de Jaraguá

Com as presenças do embaixador Zoltán Szentgyörgyi, do cônsul geral Szilárd Teleki, da cônsul comercial Zsuzsanna László, da cônsul honorária de Florianópolis, Christina Vasconcelos Lago, autoridades municipais, empresários e comunidade húngara, foi instalado solenemente na noite de quinta-feira (9), no auditório do Centro de Inovação, o Consulado Honorário de Jaraguá do Sul, o primeiro fora de uma capital. O empresário Amauri Francisco Hruschka recebeu a credencial do Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comércio Exterior da Hungria, assinada em julho, conferindo-lhe a representação. O embaixador Zoltán, autoridade máxima da Hungria no Brasil, em sua primeira missão oficial depois de assumir a Embaixada, fez a entrega, junto com o cônsul geral Teleki.

A solenidade foi aberta com o canto do Hino Nacional Brasileiro e do Hino da Hungria, pelo Coral Municipal. Coube ao professor-mestre Sidnei Marcelo Lopes, relatar o breve histórico da imigração húngara a Jaraguá do Sul, ocorrida entre 1891 e 1896, quando cerca de 800 pessoas vieram da Hungria diretamente à região do Garibaldi, numa verdadeira epopeia. Eram originários de várias aldeias. Sidnei registrou que os húngaros são os únicos imigrantes; as outras etnias existentes em Jaraguá do Sul são colonizadoras.

Com imagens e relatos, o historiador contou fatos da história da imigração húngara que poucos conheciam. O embaixador e corpo consular também se surpreenderam. A chefe de gabinete Emanuela Wolff representou o prefeito Antídio Lunelli, ausente pelo fato do nascimento da filha Vitória, naquela data. Para Emanuela, a instalação do Consulado Honorário da Hungria em Jaraguá do Sul demonstra a força da comunidade húngara e do respeito que mantém pela cultura, tradição, religiosidade e família.

Descendentes fazem entrevistas para requerer cidadania húngara

As autoridades húngaras cumpriram extensa agenda na terça-feira em Jaraguá do Sul, com visitas a duas empresas, recepção no gabinete do prefeito Antídio Aleixo Lunelli e, à noite, a instalação do Consulado Honorário. O embaixador Zoltán Szentgyörgyi retornou a Brasília na manhã de ontem (10), mas as autoridades consulares permaneceram. Na sede do Consulado foram entrevistadas 11 pessoas que buscam a cidadania húngara. A programação reservou também visitas aos locais históricos da comunidade húngara, na região do Garibaldi.

Amauri Steinmacher representa interesses da Hungria na região

O embaixador Zoltán Szentgyörgyi junto com o cônsul geral Szilárd Teleki fizeram a entrega ao cônsul honorário Amauri Francisco Steinmacher, da placa do Consulado Honorário para ser afixada em frente à empresa de Amauri, na Rua Marthin Sthal (imigrante húngaro), no bairro Vila Nova, assim como a credencial assinada em 10 de julho de 2018 pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comércio Exterior da Hungria, onde registra a área de representação, que é toda a mesorregião Norte Catarinense.

Até então, o Consulado Honorário de Florianópolis abrangia todo o Estado. O embaixador lembrou que a vinda a Jaraguá do Sul foi a primeira viagem depois que assumiu, em agosto. Ele disse estar emocionado com a história da imigração húngara a Jaraguá do Sul e que ficou impressionado com a manutenção da cultura depois de mais de 120 anos. Também fez elogios ao Coral Municipal que cantou muito bem o hino do seu país.

O cônsul geral Teleki disse que Jaraguá do Sul é um pedaço da Hungria e que se sentia em casa. Ele leu as atribuições do cônsul honorário Amauri Steinmacher, relacionando os municípios que representa e solicitou apoio. Observou que Amauri, como cidadão húngaro-brasileiro tem todas as condições de bem representar os interesses da Embaixada e do Consulado na região. O cônsul honorário Amauri Steinmacher observou que a instalação é mais um importante capítulo na história da comunidade húngara de Jaraguá do Sul.

Lembrou-se dos precedentes que chegaram a partir de 1891, da fé inabalável dos imigrantes, a construção de igrejas, escolas, empresas e o trabalho na lavoura. Os valores familiares fortes também foram citados como uma característica dos húngaros. Particularmente citou que a Capela Santo Estevão, a mais antiga igreja de Jaraguá do Sul vai completar 100 anos em 2022. Amauri observou também a criação da Associação da Cultura Húngara em 1995 e do incentivo e apoio do professor Balduino Raulino e de Alfredo Guenther, que na época eram integrantes do governo municipal. A programação da noite foi encerrada com apresentação do Grupo Folclórico Dunántúl e coquetel de confraternização no hall do Centro de Inovação.


« Voltar
Jornal do Vale do Itapocu - Tel.: (47) 3275-0633 | 3371-1182 - Rua 25 de Julho, 1936 - Jaraguá do Sul - SC Desenvolvido por Empresadois