Cultura

AO VIVO: acompanhe a 3ª edição do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação

Iniciou na manhã desta quinta-feira (25) a 3ª edição do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul realizada online devido a pandemia do novo coronavírus. Durante três dias, o amantes da sétima arte poderão desfrutar das 100 obras inscritas no evento.

Muitos deles concorrem nas 16 categorias premiadas pelo Instituto Fescine e pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, realizadores do evento. 

Leia mais:

As películas com censura a partir de 12 anos têm os links fornecidos aqui com acesso válido somente nos horários estabelecidos. Há, ainda, entre os selecionados, cinco obras que não serão exibidas por possuírem contrato com distribuidoras que impedem a exibição em meios eletrônicos.

Recorde de inscrições

 A organização conta com um número recorde de inscrições (377), quase 100 a mais que na segunda edição do Festival, quando houve 280. No primeiro ano do festival, em 2018, foram 230 os inscritos. 

Muitos filmes abordam temáticas sociais importantes e pedagógicas como bullying e a vida de menores infratores nas casas de detenção, por exemplo. “Nós” é voltado para pré-adolescentes. O menino persegue um autista que faz desenhos de sua namorada. Isso acaba em agressões e em tragédia. Mostra as consequências do bullying.

“Todos Iguais” fala da adolescente ajudada por um morador de rua que resolve apresentá-lo para os pais. A família procura retribuir e surge um laço de amizade e respeito. Em “Eu sou o Super-Homem”  há uma festa infantil com fantasias quando um colega negro chega com a fantasia igual a do aniversariante. Começam os problemas entre os dois, pois o super-homem de verdade é branco. 

 “Talkey - Amazon on fire” é um documentário sobre as queimadas na Amazônia. “O Véu de Amani” conta a história de uma muçulmana que vive no Brasil. As amiguinhas nadam no rio usando biquíni, mas Amani não pode usar esse tipo de roupa. O filme mostra as diferenças culturais que precisam ser respeitadas.

 “Simplesmente Bella!” é uma produção jaraguaense sobre a rotina de uma garota cega. “O Celatomus” conta a história de um homem que compra livros, mas não sabe ler. Repentinamente, os livros começam a desaparecer, mas são devolvidos em alguns dias. Ele resolve investigar e descobre um extraterrestre que levava os livros para ler em voz alta. O Homem, então, passa a ser um ouvinte das história

AO VIVO: