Geral,Jaraguá ,Saúde

Agentes de endemia de Jaraguá do Sul elaboram levantamento sobre mosquito transmissor da dengue

Foto: Divulgação/PMJS

Não é somente da Covid-19 que devemos nos cuidar. A Vigilância Epidemiológica da secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul, está executando o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), em vários bairros da cidade. Criado pelo Ministério da Saúde, o objetivo é identificar as áreas com maior proporção/ocorrência de focos do mosquito, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, febre de chikungunya e zika vírus.

Leia mais

 

Como é feita por meio da visita a um determinado número de imóveis do município, sorteados, os agentes de endemias têm encontrado resistência de muitos moradores, por não saberem do levantamento ou por causa da pandemia de coronavírus.

“Este trabalho é fundamental para coletarmos eventuais larvas do mosquito para definir o Índice de Infestação Predial. Na semana passada, em um quarteirão de um bairro, dez proprietários se recusaram a receber os nossos agentes, o que dificulta em muito o levantamento”, explica a supervisora do Setor de Fiscalização e Controle de Zoonoses, Aline Cristiane Borba Monteiro.

O levantamento deve estar concluído até o final de abril.

De acordo com determinação do estado, os municípios infestados devem realizar a atividade nos meses de março e novembro. No entanto, neste ano, devido ao cenário de transmissão do novo coronavírus, o prazo da atividade foi ampliado até o final de abril.

De janeiro a março de 2021, em Jaraguá do Sul, foram identificados 244 focos do mosquito Aedes aegypti. “Por isso, é importante as pessoas abrirem suas casas para os agentes. A nossa preocupação com a dengue é muito grande”, disse Aline, acrescentando que os agentes estão devidamente uniformizados com crachás de identificação pessoal e da prefeitura de Jaraguá do Sul.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!