Cultura,Especiais

Ciência logosófica completa nove décadas de sua criação

Há 90 anos, no dia 11 de agosto de 1930, era criado na cidade de Córdoba, na Argentina, a logosofia, pelo pensador e humanista Carlos Bernardo González Pecotche. A sua obra é em prol da superação humana e desde o princípio sabia que o movimento logosófico não teria uma rápida e acelerada expansão, pois o seu objetivo foi lançar a base de uma nova cultura para a humanidade, de forma sólida e duradoura, ou seja, uma meta de longo curso, sem a pressão do tempo das horas, dos dias, meses e anos.

A logosofia é uma ciência nova, que não guarda relação com outras concepções passadas ou presentes do pensamento humano, de ordem filosófica, ideológica ou doutrinária, sobre a vida, origem e destino do homem, como também é singular e única a sua concepção sobre Deus e o Universo. Ela tem a missão de levar o homem, mediante processos sucessivos de superação, a conquistar o domínio consciente de suas possibilidades humanas.

 

Uma das diretrizes centrais do método logosófico é experimentar o que se estuda e estudar o que se experimenta. Está presente em diversos países da América Latina, Europa, Ásia e Oceania. No Brasil existem oito unidades do Colégio Logosófico González Pecotche, sendo que em Santa Catarina são dois: Chapecó e Florianópolis.

A Fundação Logosófica chegou a Jaraguá do Sul em 1989, portanto há 31 anos. Conta com sede própria no bairro Água Verde, na Rua Therezita Menegotti Rocha 110. Realiza palestras públicas para difusão do pensamento logosófico e oferece cursos gratuitos para quem quiser conhecer essa ciência.

Os objetivos da logosofia são a evolução consciente do homem, o conhecimento de si mesmo, a integração do espírito, o conhecimento das leis universais, o conhecimento do mundo mental, a edificação de uma nova vida e de um destino melhor e o desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar.