Coronavirus,Geral,Jaraguá

Comitê da Covid-19 de Jaraguá do Sul emite nota sobre o evento "Feijoada do Moa" que ocorreu no último sábado (14)

Nesta quinta-feira (19) o Comitê Extraordinário da Covid-19 em Jaraguá do Sul, emitiu uma nota sobre a "Feijoada do Moa" que aconteceu no último sábado (14).

A nota, assinada pela presidente do comitê, Emanuela Wolff, diz que o "Comitê não é órgão executor, e apenas atua e compartilha informações com o intuito de subsidiar o Poder Público Municipal para a tomada de decisões e encaminhamentos exigidos pelo combate da pandemia na região. Dessa forma não emite nenhum tipo de autorização para qualquer tipo de atividade".

"Apesar dos apelos dos membros do Comitê ao organizador, para que o evento denominado “Feijoada do Moa” não se realizasse em
virtude do grande aumento de casos na região, o mesmo seguiu adiante e foi autorizado pela vigilância sanitária no dia 11 de novembro para o almoço, uma vez que tanto os decretos estaduais, como os decretos municipais permitiam a sua realização, porém, claro, com uma série de restrições", diz a nota.

A publicação diz ainda que entre as restrições para a realização de eventos estão o uso de máscara por todos os participantes, distanciamento social, uso de álcool em gel e que o evento aconteça entre às 11h e 14h30, com a capacidade de 30% do local do evento. No caso de apresentações de música ao vivo, é limitado a apresentações individuais e/ou duplas.

A nota segue dizendo: "O realizador do evento descumpriu praticamente todas as regras que lhe foram impostas, o que foi verificado através de vistoria in loco [...], bem como por meio de fotos e vídeos compartilhados na internet."

O evento acontecia após às 17h, tendo mais de 100 carros no estacionamento do local. O 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM), que encerrou a festa, também emitiu nota explicando dizendo que "em nenhum momento o 14º BPM foi procurado pela organização do evento para tratar de questões pertinentes à segurança pública, nem para fazer a vistoria no local, atribuição que não é competência da PM".

"A declaração do organizador de que o evento tinha acabado e que só havia alguns “gatos pingados” não condiz com a veracidade dos fatos, ratificado com as fotos postadas por ele próprio nas redes sociais e pelo vídeo recebido pela PM às 16h49min através da Central Regional de Emergências (CRE-190), mostrando que no evento havia uma grande concentração de pessoas sem máscaras e desrespeitando o distanciamento social e que acabou embasando a denúncia recebida e a ação desencadeada pelo 14º BPM, estando no local às 17h08min", segue dizendo a nota do 14º BPM.

"O evento, que ainda acontecia às 17 horas, com mais de 100 carros no estacionamento, foi devidamente encerrado pelo Polícia Militar, tanto que confeccionou um termo circunstanciado por descumprimento de medidas sanitárias impostas (art. 268 do Código Penal)", diz a nota do comitê.

"É lamentável que num momento delicado como esse, de alta crescente do número de casos de COVID-19 na região, uma figura pública com
influência social se comporte dessa maneira, o que é totalmente repudiado por este comitê, além do que em nada condiz com a nossa sociedade ordeira e colaborativa.

A compatibilização entre as questões econômicas e sanitárias é norte e premissa básica deste Comitê, de modo que atitudes como essa
só prejudicam aqueles que querem seguir realizando suas atividades com segurança e respeito."