Saúde

Coronavírus: Fisioterapeutas alertam para a importância dos exercícios respiratórios

Foto: Divulgação

Leonardo Koch

Jornalista formado com experiência em jornal impresso, digital e audiovisual

A pandemia provocada pelo coronavírus trouxe à tona a importância da fisioterapia respiratória no ambiente hospitalar e a atuação preventiva em grupos de risco.

Os exercícios respiratórios são utilizados como recursos terapêuticos pelos profissionais de fisioterapia, uma vez que promovem a recuperação da força dos músculos inspiratórios, restauram a complacência muscular (expansibilidade) e auxiliam na eliminação do muco (catarro).

Leia mais:

Pessoas do grupo de risco do coronavírus  devem fazer exercícios respiratórios no período de isolamento social como forma de prevenção de complicações e descompensação do quadro respiratório. 

Idosos, portadores de doenças obstrutivas pulmonares crônicas, pessoas com mobilidade reduzida e imunossuprimidos têm perda de massa muscular e redução da capacidade pulmonar, e os exercícios auxiliam a compensar esse déficit funcional, explicam os fisioterapeutas Morgan Lazarin e Geli Cristina Berton Kostrowski. É importante salientar que os exercícios não evitam a contaminação por Covid-19.

Indivíduos saudáveis, de um modo geral, não necessitam de exercícios de fortalecimento da musculatura respiratória ou de melhoria da capacidade pulmonar. O fortalecimento do sistema imunológico e da capacidade respiratória, nestes casos, ocorre pela prática de atividades físicas, mesmo em casa, durante a pandemia. 

Alguns exemplos de exercícios respiratórios que podem ser realizados em casa: 

Respiração diafragmática

O primeiro exercício é o da respiração diafragmática. Nessa atividade, é o abdômen que deve ser expandido no momento da respiração; não tórax. Isso melhora a amplitude da caixa torácica justamente porque permite a entrada de mais ar. Além disso, também reduz a ansiedade e permite que a pessoa respire melhor, de modo geral. Para realizar esse exercício, procure uma posição confortável para sentar, feche os olhos, coloque a mão sobre a barriga e inspire lentamente pelo nariz, expandindo o abdômen. Depois de inspirar o máximo que puder, segure o ar por dois segundos e expire lentamente. Esse exercício também pode ser realizado deitado.

Exercícios de respiração associados a movimentos dos membros superiores

Na inspiração, eleve ou abra os braços conjuntamente. Na expiração, recolha os braços, retornando à posição inicial. 

Inspiração sustentada

Inspire abrindo os braços, segure o ar por 10 segundos ou por quanto tempo conseguir. Solte o ar e retorne os braços para a posição inicial.

Inspiração fracionada

Para aumentar o volume de ar que entra nos pulmões, um ótimo exercício de respiração é a inspiração fracionada. Em geral, nós conseguimos inspirar mais ar quando fazemos pausas. Assim, a elasticidade do tecido do pulmão aumenta.

Esse exercício é feito com inspirações mais curtas. Inspire por 1 segundo, segure a respiração por 2 segundos e inspire mais uma vez. Depois de fazer a inspiração completa em partes, deve-se expelir o ar de uma só vez. Esse exercício não é indicado para quem tem problemas obstrutivos graves.

Respiração fracionada 

Essa opção também ajuda a aumentar o volume de ar inspirado e a estimular partes do pulmão que estejam subutilizadas. Para realizá-lo, você deve fazer uma única inspiração profunda. Depois, solte apenas um pouco do ar e inspire mais um pouco. Faça essa combinação de expirar e inspirar por cerca de quatro vezes. Em seguida, expire completamente.