Coronavirus,Geral,Saúde

Mesmo distribuindo ivermectina Itajaí vê nº de mortes por covid crescer em 58%

Carla Nunes

Carla Nunes é jornalista e editora do JDV Digital. 

O município de Itajaí (SC) iniciou há duas semanas a distribuição de ivermectina à população para o tratamento contra o coronavírus. No entanto, os números de mortes e novos casos registrados de covid-19 no mesmo período aumentaram. Segundo reportagem de UOL, no dia 7, início da ação, o número de casos confirmados na cidade era de 2.116, de acordo com o boletim epidemiológico estadual. Ontem, este índice passou para 2.654, um aumento de 26%.

O número de mortes contabilizadas, por sua vez, subiu quase 58%, saindo de 45 para 71 mortes no período. Os casos considerados ativos também saltaram exponencialmente e mais do que triplicaram: segundo a prefeitura de Itajaí, este índice passou de 132 para 431 pessoas. 

 

Apesar de Itajaí distribuir a ivermectina, autoridades sanitárias nacionais e internacionais descartaram o uso do remédio no combate à covid-19. Estudos recentes também não comprovaram a eficácia da substância. Nos últimos dias, o cirurgião-geral Joaquim Inácio de Melo Júnior, que publicamente defendeu o uso da ivermectina, foi internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Anis Rassi, em Goiânia. Comparação Apesar de expressivos, os números de novos casos são menores do que os registrados em outras cidades de Santa Catarina no mesmo período, segundo o boletim do estado. Florianópolis (de 1.781 para 2.578), Blumenau (de 2.390 para 3.476) e Balneário Camboriú (2.181 para 3.174) tiveram aumentos de cerca de 45%. Joinville (de 2.782 para 4.954), com situação agravada, sofreu um salto de 78%. Chapecó, por outro lado, contabilizou um crescimento inferior ao que foi mostrado em Itajaí pela secretaria estadual, saindo de 2.668 para 3.195 casos (aumento de 20%).