Inaugurar o quê?

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos

Deputado federal Fabio Schiochet (PSL) convidou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para inaugurar obras de duplicação da BR-280. E, também, para a Schützenfest. A Festa dos Atiradores só volta em 2022 e isso sem pandemia.

Quanto a rodovia, o risco é de uma nova BR-101/Sul, que demorou 14 anos para acabar. Por aqui já estamos com obras há mais de sete anos sem nenhum quilômetro concluído. No trecho urbano, sim, mas é obra do Estado com recursos próprios, de R$ 160 milhões. Nesse caso, nada a ver com o presidente.

Sem unanimidade

O clima é pesado no MDB visto a disputa interna pela indicação do candidato a governador em 2022. De novo a bancada do MDB na Assembleia Legislativa tende a pedir a suspensão da eleição prévia marcada para 15 de agosto sob pena de um racha irreversível no partido.

Já que  o evento envolverá milhares de filiados (são 185 mil), a pandemia da Covid 19 também é um argumento, mas não o de maior peso. Dividido, o partido corre risco de um novo desastre nas urnas, como aconteceu em 2018 com Mauro Mariani.

Deputados se posicionam

A bancada emedebista, liderada pelo deputado Valdir Cobalchini e dona de quase 400 mil votos conquistados em 2018, deve se posicionar com a Executiva estadual. O deputado federal e presidente do partido, Celso Maldaner, segundo avaliações, é o nome mais forte entre os pretendentes.

Além dele, o senador Dario Berger e o prefeito Antídio Lunelli, o preferido por Maldaner segundo declarou o próprio deputado. Causando alvoroço no meio emedebista. A tendência é que o deputado deixe a raia aos 45 do segundo tempo para favorecer Lunelli.

CPI investigará contrato

Sete dos 15 vereadores da Câmara de Blumenau protocolaram pedido de abertura de uma CPI para investigar o contrato entre a empresa Blumob (transporte urbano e passageiros), com sede em Piracicaba, e a Prefeitura.

Mesmo com as regras de distanciamento social e decretos estabelecendo número máximo de passageiros, os ônibus circulam lotados e- para piorar- em horários reduzidos. Com apenas 57,19% da frota de 285 veículos circulando.

Repasse de R$ 16 milhões

Repasses da prefeitura à Blumob, de R$ 16 milhões, por alegada redução de passageiros em tempos de pandemia, também serão investigados.

Detalhe: até hoje, a empresa que aportou em Blumenau no governo de Napoleão Bernardes (PSD) em regime emergencial (o Consórcio Siga, com três empresas, faliu) não tem garagem para guardar os ônibus. Se mais CPIs do gênero fossem criadas para investigar contratos em outras cidades, veríamos coisas do arco da velha.

Ciumeira política

Tanto fez o senador Jorginho Mello (PSL), candidato a governador em 2022 e roído de ciúmes do prefeito João Rodrigues (PSD), que o presidente Bolsonaro, seu amigo e apoiador, virá a Florianópolis, também, para evento idêntico ao de Chapecó marcado para os dias 25 e 26 de junho: um passeio com motociclistas.

Na Capital, dias 13 e 14 de agosto, a visita inclui encontro com empresários. O que deixou o senador feliz como criança lambendo um pirulito.

Chá de sumiço

Denunciado pela Lava Jato como suspeito de ter embolsado propina de R$ 11 milhões para favorecer o grupo farmacêutico Hypermarcas, quando ainda senador e, por isso mesmo, exonerado de cargo que ocupava na Casa Civil no início do governo Bolsonaro, o tucano Paulo Bauer tomou chá de sumiço.

A investigação prossegue.  Bauer é acusado de propor projeto proibindo que estados e municípios cobrassem impostos sobre medicamentos de uso humano.