O importante é que as boas lembranças ficam!

Claudio Piotto

Professor Pesquisador, Mestre em Educação, Especialista em Planejamento Educacional e Docência do Ensino Superior, Historiador e Pedagogo. Entusiasta da Educação.

Ver artigos

Escola de Educação Básica Prof. Giardini Luiz Lenzi

Em continuidade às minhas memórias, volto ao ano de 2000, período em que estava atuando na escola “Giardini Lenzi”. Trago como memória desse ano uma das turmas de terceiro ano noturno, por ter criado uma identidade muito forte com eles. Quando começamos o ano a turma gostava muito de contar histórias da “Vila”, acrescentando relatos com um charme de um período e de fatos que não existiram e eram totalmente apaixonados pela escola e pelo bairro; adultos em seus compromissos profissionais, como era normal no período, 99% já estava trabalhando, mas na escola voltavam a ser crianças, divertiam-se muito, sem desfocar nos estudos, mesmo com as piadas sem graça de um dos colegas, que, aliás, hoje é um bom Professor. Memórias que me deixam realizado como pessoa, pois nesse período os intervalos eram momentos de “merendar” com os alunos e conversar sobre seu dia a dia, formava-se uma mesa de conversa sobre coisas cotidianas, muitas vezes esses alunos confidenciavam seus problemas e suas alegrias, era comum conhecer toda a família através de seus relatos, era fácil saber quando não estavam bem e que naquela noite era importante “dar um tempo, deixa-lo ali de corpo presente”, ter respeito ao próximo. Compreender seu aluno é demonstrar autoridade e criar a verdadeira empatia, marcar de maneira positiva a vida dele. Poderia contar sobre os mais de 10 anos que atuei nessa escola, mas deixo a memória desse ano em agradecimento a todo o tempo em que estive como professor na “Giardini”, obrigado!

 

A matéria era “Estudos Sociais”

A implementação nos currículos escolares dessa matéria no Brasil seguiu                       o modelo do pensamento educacional dos Estados Unidos, era para ser o estudo integrado das ciências sociais e humanidades para promover as competências cívicas. A matéria passou por várias roupagens no contexto educacional brasileiro, tentando-se adaptá-la a cada momento histórico político brasileiro. Para uma melhor compreensão, a matéria de Estudos Sociais compreende o que hoje é História, Sociologia, Geografia, Filosofia, matérias que relacionam a formação e interação da sociedade dentro de contextos econômicos, sociais e históricos.

 

Técnicas Comerciais

Essa matéria objetivava preparar o aluno secundarista para atuar no mercado de trabalho, buscava-se significar o ensino obrigatório para que esse estudante conseguisse sair com um preparo profissional para atuar na economia como trabalhador. Nessa matéria abordavam-se conteúdos administrativos, econômicos e contábeis, cujo propósito era conhecimentos básicos de economia.

Latim

Como outras matérias que fizeram parte do nosso currículo escolar, tivemos como língua estrangeira o latim, que fez parte enquanto essa língua tinha uma importância internacional, assim como o francês já fez parte e hoje temos o inglês e o espanhol, são momentos e experimentos que fazem parte da construção de nossa História Educacional no Brasil. 

Memória Afetiva da Escola

Vale relembrar das gincanas que existiam e ainda existem nas escolas. Esses movimentos mexiam com todo o entorno da escola, movimentava os pais e a comunidade. Período de gincana é quando a escola se despoja da carranca e traz para o momento seu verdadeiro significado social educacional.  E quantos outros projetos criativos e prazerosos tivemos a oportunidade de vivenciar na escola...Com certeza sua memória trará momentos de seu tempo escolar, saudoso e feliz...