Tenho certeza

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

“Tenho certeza!" Quantas vezes você ouviu ou pronunciou esta frase? Afinal, eu sempre soube que o mundo precisa de pessoas seguras, que nunca tenham dúvidas!

Hoje eu quero falar sobre o que chamo de Gaiola da Certeza. Mas, por que eu chamo de gaiola? E, de que são feitas as barras? E, como sair dela? Mas acima de tudo, o que há fora dela? E, se a vida que você quer, estivesse ali, na ponta dos dedos, fora da sua gaiola de certezas? O que você acharia disso? Estou dizendo coisas estranhas? Depois de ler o artigo, você descobrirá!

Quando você pensa em uma gaiola, o que vê? Uma espécie de prisão?  Um lugar onde você se sente mal?  Um lugar do qual você queira fugir? Não. Nem sempre é o caso.

Existem gaiolas que, em certo sentido, são piores que as prisões. Em certas gaiolas, você até consegue se sentir bem.

Todos nós vivemos em gaiolas sem perceber. As construímos, peça por peça, barra após barra, certeza após certeza. E quanto mais continuarmos a fazer aquilo que aprendemos, mais certeza teremos de que estamos fazendo a coisa certa.  É aí que está o engano.  Veja como construímos barras de gaiola ao seu redor.

Você trabalha 8 ou até 14 horas por dia, muitas vezes até no fim de semana.  Estava ganhando um bom dinheiro e, certo das suas certezas, iludiu-se de que esse tipo de vida, mais cedo ou mais tarde, o levaria à liberdade.

Após décadas vivendo assim, num certo dia, um problema de saúde muito sério o parou. Que golpe! Onde estão as certezas que teriam de lhe proteger?

Para sair dessa jaula, você precisou experimentar um trauma tão devastador? Não, não havia necessidade, mas, infelizmente, você não a viu!

De fato, com suas certezas, continuou a fortalecer sua crença de que tudo estava perfeito. Você teve que passar por isso, embora a vida cotidiana lhe enviasse mensagens. A parte difícil foi percebe-las, não é!

E, uma vez fora da gaiola, você se dedicaria a novas ideias e novos projetos até se lançar em uma verdadeira aventura? Talvez, como ajudar os outros a se tornarem a melhor versão deles mesmos? Tomaria cuidado para não reconstruir uma nova gaiola? Te imaginariam um louco? Como poderia deixar tudo para trás e recomeçar algo novo e incerto?

Talvez, eles não pudessem imaginar o sabor da liberdade que é experimentado fora da gaiola de certezas. Às vezes, é precisamente o conjunto de pequenas coisas que faz a diferença em nossa vida.  A única certeza é que não há nada certo, já dizia Plínio, o Velho.

Entretanto, para sair da gaiola, devemos ter a certeza de que ela existe. Sim, porque muitas vezes, ela é invisível, ou, não queremos ver.

Parece-nos algo em que vivemos muito bem. É a hora certa de se dar um bom par de óculos. Agora, você vê as barras na sua gaiola? As crenças? Certezas são apenas nossas crenças, as barras da jaula.

Sempre que você disser ou pensar algo como "tenho certeza", pare e imagine sua gaiola.

O filósofo Bertrand Russel disse: "O problema com a humanidade, é que pessoas tolas são inseguras, enquanto pessoas inteligentes, estão cheias de dúvidas". A chave para a liberdade está em uma palavra que devemos reavaliar fortemente. Dúvida!

Nós damos às crenças o poder de tirar nossa liberdade, e então, vamos tomar a liberdade de questionar o conteúdo de tudo aquilo que nos jogam na cara todos os dias.

Sabe, se eu não tivesse questionado minhas certezas, eu ainda estaria lá, em uma gaiola dourada, e este artigo nem existiria. Em vez disso, graças a essa chave, agora vivo uma nova vida, uma nova liberdade!

E você? Quem sabe, talvez seja hora de sair da sua gaiola. No fundo, todos aqueles que obtiveram suas certezas, terão seus motivos, mas, você acha que são certezas absolutas, ou crenças pessoais? Talvez, eu digo talvez, o risco é ver essas crenças se tornarem realidade.