Geral

Ampliação de saneamento e sistema de energia solar

O PAS – Plano de Ampliação de Saneamento foi apresentado na manhã de ontem (24) na sede do Samae, durante coletiva de imprensa, com a presença do prefeito Antídio Aleixo Lunelli e outras autoridades e lideranças convidadas. No mesmo ato, foi entregue o primeiro sistema público municipal de geração de energia solar, instalado sobre a ETA Central, no bairro Água Verde, investimento de R$ 1,1 milhão.

25/07/2019

Por

Ampliação de saneamento  e sistema de energia solar

O PAS – Plano de Ampliação de Saneamento foi apresentado na manhã de ontem (24) na sede do Samae, durante coletiva de imprensa, com a presença do prefeito Antídio Aleixo Lunelli e outras autoridades e lideranças convidadas. No mesmo ato, foi entregue o primeiro sistema público municipal de geração de energia solar, instalado sobre a ETA Central, no bairro Água Verde, investimento de R$ 1,1 milhão.

São 1.018 módulos de 370 quilowatts e nove inversores. Com isso, está sendo ampliada a eficiência energética, iniciada com a substituição de motores de alto rendimento fabricados pela Weg, onde a autarquia investiu R$ 1,6 milhão. É a única companhia de água a utilizar esse modelo de motor elétrico. A redução do gasto de energia deve chegar a 20%, segundo o presidente do Samae, Ademir Izidoro.

Durante a apresentação o prefeito Antídio Lunelli ressaltou que serão investidos mais de R$ 57,2 milhões em obras de saneamento no município, que já é referência nacional em tratamento de água e de esgoto.

O PAS contém os investimentos a serem feitos este ano e em 2020, com recursos próprios da autarquia e obtidos por meio de financiamentos. O Plano de Ampliação de Saneamento contempla 39 ações em seis áreas: Água, Reservação e Controle de Perdas; Esgoto Sanitário; Eficiência Energética; Coleta de Resíduos Sólidos; Meio Ambiente; e Infraestrutura/Administrativo.

Comunidade terá mais informações sobre as obras realizadas pela autarquia

O Samae vai informar a comunidade todas as 39 ações e investimentos que serão feitos no Plano de Ampliação de Saneamento, que obedece o Plano Municipal de Saneamento de Jaraguá do Sul e o Plano Diretor da autarquia. A assessora de Gestão do Samae, Ana Carolina Figur, apresentou a campanha publicitária para informar e minimizar o impacto das obras à população. “Quando é informado o que é feito, a comunidade entende”, disse. Ana explicou que será utilizado os meios de comunicação tradicionais como jornais e rádios, além de outdoors e orientações nas frentes de trabalho. Também serão encaminhadas correspondências aos moradores abrangidos pelas obras, assim como flyers junto as faturas de água e esgoto. “Os transtornos causados pelas obras por toda a cidade sempre haverá, mas por meio de uma comunicação eficaz queremos minimizar os incômodos, relatando os benefícios que elas trarão na saúde e na segurança hídrica”.

Controle de perdas é uma das principais ações do programa

Conforme o presidente do Samae, Ademir Izidoro, o maior volume de recursos será aplicado nas obras que tratam do sistema de água, abrangendo a reservação, distribuição e controle de perdas, com um valor de R$ 22,8 milhões. Serão construídos 11 reservatórios, aumentando em 40% a capacidade de reservação de água potável. Além disso, serão substituídas redes antigas e instaladas novas.

Para as ações de esgoto sanitário estão previstos R$ 21,5 milhões. Dentre os investimentos em esgoto, está a reforma e ampliação da ETE Água Verde, uma unidade construída há quase 20 anos e que nunca passou por uma revitalização. O principal motivo deste investimento é adequar a Estação de Tratamento de Esgoto Água Verde para atender a demanda do crescimento populacional verificado nos últimos anos na região atendida por essa ETE.

Mais R$ 11 milhões estão no pacote de atividades, englobando ações para a coleta de resíduos sólidos, meio ambiente e infraestrutura da autarquia. Um dos pontos citados por Izidoro é o controle e redução de desperdício, para o qual estão previstos R$ 12 milhões, aproximadamente, em melhorias nas redes de abastecimento, substituindo redes antigas, o que deve baixar de 34% para 26% o índice de perdas.

O Samae dispõe de 850 km de rede de água, alguns ramais ainda de amianto e com décadas de existência, segundo Ademir. Ele citou, também, a preocupação com o futuro da água, o que motivou o lançamento do programa de revitalização da mata ciliar com o plantio já iniciado de 40 mil árvores nativas, cobrindo uma área de 1,1 milhão de metros quadrados.

Notícias relacionadas

x