Política

Analista do Dnit na região para tratar do contorno ferroviário

O analista de infraestrutura de transporte do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Lucas Bôto, estará nesta terça-feira (4) na Aciag, às 15h30min, para tratar sobre o contorno ferroviário entre Guaramirim e Jaraguá do Sul. Em junho de 2018 foi assinado o contrato entre o Governo Federal e a empresa…

04/06/2019

Por

Analista do Dnit na região para tratar do contorno ferroviário

O analista de infraestrutura de transporte do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Lucas Bôto, estará nesta terça-feira (4) na Aciag, às 15h30min, para tratar sobre o contorno ferroviário entre Guaramirim e Jaraguá do Sul. Em junho de 2018 foi assinado o contrato entre o Governo Federal e a empresa Sysfer Consultoria de Sistemas, para o desenvolvimento de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiente da variante ferroviária de Guaramirim e Jaraguá do Sul, na EF 485. A Sysfer venceu a licitação pelo valor de R$ 547,9 mil. O contrato foi assinado no dia 5 de junho de 2018 e publicado no Diário Oficial da União no dia 11 daquele mês. O Dnit expediu no dia 5 de julho a ordem de serviço, com validade a contar da data do dia 9 de julho daquele ano. Esse assunto não é novo. Em agosto de 2000 foi apresentado o projeto de engenharia da variante do contorno ferroviário elaborado pelo Consórcio Enefer/Prosul, que acabou abandonado. Lucas Bôto manterá contatos, também, com as prefeituras de Guaramirim, Schroeder e Jaraguá do Sul. O segmento ferroviário atual, a ser substituído pela variante em estudo, pertence à Linha Tronco – Subdivisão 14, Trecho São Francisco do Sul – Mafra, no Estado de Santa Catarina, iniciando no km 62+349,64 entre as estações (quando havia) de Presidente João Pessoa, em Guaramirim, e terminando no km 85+833,98 entre as estações de Jaraguá do Sul e Nereu Ramos, totalizando aproximadamente 23,48 km. A vinda do analista de infraestrutura de transporte do Dnit, Lucas Bôto, nesta terça-feira, deverá dar luz ao estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental levantado pela Sysfer, contratada para o serviço.

Trecho em estudo tem 23,5 quilômetros e vários conflitos urbanos

O segmento ferroviário atual com seus 23,48 km de linha atravessa os perímetros urbanos de Guaramirim e Jaraguá do Sul, conflitando com os sistemas viários das duas cidades, além de cruzamentos com rodovias estaduais e federais. Divisando-se está o município de Schroeder ao norte de Jaraguá do Sul e noroeste de Guaramirim, cuja região sul completa a macrorregião que apresenta possibilidades de inserção do traçado. Analisando-se toda a região envolvida nos três municípios, concluiu-se, na época, que não existem muitas opções para implantação do traçado ferroviário, limitando-se a duas alternativas de corredor, sendo uma de contorno do Morro Vieira e a outra com a travessia do mesmo através de túnel. Geograficamente, ambas as alternativas atingem diretamente os três municípios, sendo Jaraguá do Sul o que detêm a maior extensão. Em obras de arte necessárias são oito viadutos e duas pontes sobre os Rios Itapocu e Itapocuzinho, somando 615,90 metros, segundo o projeto concluído no ano 2000.

Notícias relacionadas

x