Jaraguá

Aumento de focos do mosquito faz Jaraguá do Sul reativar a Sala de Situação

Neste ano, já são 62 casos de dengue, 20 contraídos em Jaraguá

08/07/2022

Por

Aumento de focos do mosquito faz Jaraguá do Sul reativar a Sala de Situação

Divulgação/PMJS

A Administração Municipal reativou a Sala de Situação – criada em 2019 e composta por representantes de várias Secretarias Municipais e Gabinete –, que tem por objetivo traçar estratégias de ação para o combate dos focos do mosquito Aedes aegypti (mosquito da dengue) no município. De acordo com a última atualização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), da Secretaria de Estado da Saúde, Jaraguá do Sul está na lista de cidades catarinenses infestadas pelo mosquito Aedes aegypti.

Esta semana ocorreu a primeira reunião do grupo onde foram analisados os números da dengue em Santa Catarina e na cidade. Conforme os dados oficiais, desde 2021 houve um crescimento de 498% nos casos confirmados e de 400% nos casos autóctenes (contraídos dentro do município). Neste ano, já são 62 casos de dengue, 20 contraídos em Jaraguá, porque o paciente não saiu da cidade.

No ano passado ocorreram 12 casos de dengue no município. O número de focos também deu um salto em 2022: 815 até 30 de junho, contra 464 em 2021 e 91 em 2020. Um crescimento de 85% no número de focos em relação ao mesmo período de 2021 e 44% em relação a todo ano de 2021.

De acordo com o Diretor de Vigilância em Saúde, Dalton Fernando Fischer, a situação da dengue em Jaraguá do Sul – a exemplo do que está ocorrendo em todo o Estado –, preocupa, “por isso a necessidade de atualizar o plano de contingência e criar novas estratégias para sensibilizar os munícipes em relação à eliminação de possíveis focos”, aponta.

Treze bairros são considerados infestados pelo Aedes aegypti

O Centro, Vila Nova, Czerniewicz, Nova Brasília, Ilha da Figueira, Vila Lenzi, Chico de Paulo, Vila Lalau, Tifa Martins, Baependi, Rio Molha, Água Verde e Jaraguá Esquerdo, são considerados bairros infestados em Jaraguá do Sul. A gerente de Vigilância Epidemiológica, Talita Piccoli Sevegnani, lembra que “denúncias de possíveis focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus, podem ser realizadas por meio da Ouvidoria do SUS, pelo telefone 0800 642 0136, na Ouvidoria Geral da Prefeitura, no telefone 0800 642 0156, ou email ouvidoria@jaraguadosul.sc.gov.br.

(Foto: Divulgação/PMJS)

Para o secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti, dependerá de toda comunidade a conscientização e a adoção das medidas de prevenção, como a eliminação ou limpeza de objetos ou locais que possam estar acumulando água, como pneus, vasos de plantas, baldes, calhas e outros.

“Somente assim poderemos ter uma realidade diferente em Jaraguá do Sul comparado a outras cidades do Estado”.

Na presença de sinais e sintomas, o paciente deve se dirigir imediatamente ao serviço de saúde e, caso já tenha sido atendido antes, deve retornar e não se automedicar. Pessoas que estiveram nos últimos 14 dias numa cidade com a presença do Aedes aegypti ou com a transmissão da dengue e tiver os sintomas citados, procure a unidade de saúde de referência.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x