Sem categoria

Bispo Dom Murilo já é residente no Seminário SCJ de Corupá

O arcebispo emérito de São Salvador, Bahia, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, está residindo no Seminário Sagrado Coração de Jesus, por opção própria

23/06/2020

Por

Bispo Dom Murilo já é residente no Seminário SCJ de Corupá

Desde quinta-feira, Corupá e região contam com um morador ilustre. O arcebispo emérito de São Salvador, Bahia, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, está residindo no Seminário Sagrado Coração de Jesus, hoje sede da Província Brasil Meridional dos Padres do SCJ, por opção própria. Dom Murilo tem 76 anos (19 de setembro de 1943) e ao completar 75 anos pediu ao Papa Francisco a renúncia do cargo, como manda o Código de Direito Canônico.

Isso foi em setembro de 2018. Ele permaneceu mais de ano e meio e no início de junho de 2020 foi substituído por Dom Sérgio da Rocha como arcebispo de São Salvador, Bahia, arquidiocese primaz do Brasil. Dom Murilo chegou na quinta-feira e no domingo, fez a primeira celebração na capela do Seminário SCJ para a comunidade, em sua nova casa, tendo como concelebrante o Padre Cícero Celeste Murara.

Ele retorna à casa onde iniciou seus estudos que deram sequência à sua vocação religiosa. De 1956 a 1962 concluiu o ensino básico em Corupá e em 1963 fez o Noviciado em Jaraguá do Sul, na Barra do Rio Cerro, professando os votos religiosos em 2 de fevereiro de 1964. No dia 7 de dezembro de 1969 foi ordenado sacerdote em Brusque, sua cidade natal.

Ocupou vários cargos de relevo dentro da hierarquia da Congregação e da Igreja Católica no Brasil. De 1981 a 1985, foi superior da Província Brasil Meridional, que atualmente tem sede em Corupá, onde reside, agora. No ano que terminou o mandato como provincial da Congregação (1985) foi nomeado pelo Papa João Paulo II bispo auxiliar de Florianópolis.

Em 1991 foi nomeado e tomou posse como bispo de Ponta Grossa (PR). Em 1997 foi nomeado arcebispo de Maringá e em 2002, tornou-se arcebispo de Florianópolis. Em janeiro de 2011, já com Bento XVI como Papa, foi nomeado arcebispo de São Salvador da Bahia, tomando posse no dia 25 de março daquele ano.

Embora tenha completado 75 anos em setembro de 2018 e solicitado a renúncia como arcebispo, como manda o Código de Direito Canônico, a sua substituição na Arquidiocese de Salvador deu-se somente no dia 5 de junho de 2020.

 

Após 35 anos Dom Murilo retorna ao seio da comunidade dehoniana

Dom Murilo Ramos Krieger continua Bispo da Igreja Católica, embora sem o compromisso de fazer a gestão de uma diocese. No domingo, após a missa que presidiu na capela do Seminário SCJ, disse em entrevista exclusiva ao JDV que com o final do mandato como dirigente da Arquidiocese e tendo atingido a idade limite, tinha opção de ficar na Bahia, ou residir onde quisesse, mas decidiu-se por Corupá.

Disse estar à disposição para pregar encontros, retiros, celebrações e aconselhamentos. Revelou sentir-se feliz em voltar à uma comunidade dehoniana. “Jamais perdi o carisma dehoniano, do nosso fundador Padre Dehon. Fui ordenado bispo muito cedo (com 41 anos apenas), exerci por 35 anos funções superiores dentro da hierarquia da Igreja, como bispo e arcebispo. Agora estou de volta ao seio dehoniano e a serviço do Reino de Deus”.

Dom Murilo tem estreita ligação pessoal e eclesial com o Bispo Dom Francisco Carlos Bach, da Diocese de Joinville. Trabalharam e residiram na mesma comunidade por seis anos, em Ponta Grossa, no Paraná. A propósito, foi ele quem foi o ordenante principal da ascensão ao espiscopado (um dos três graus do sacramento da Ordem) de Dom Francisco, em outubro de 2005.

Além de Dom Francisco, Dom Murilo Krieger foi o ordenante de mais cinco bispos e co-consagrante de outros dois. O novo residente de Corupá confidenciou que Dom Francisco, sabendo da sua vinda definitiva à região, já pediu-lhe um encontro. Deve pregar um retiro para padres.

Concluindo, disse estar feliz por retornar à Corupá onde fez o ensino básico e sedimentou o caminho da sua vocação religiosa.

Diocese define regras para encontros, sacramentos e eventos até dezembro

A Diocese de Joinville publicou uma nota com as orientações para a realização de eventos, encontros, batismo, catequese, casamento, crisma e outros sacramentos que valem até o fim deste ano. As determinações seguem as recomendações da Confederação Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB) e também as normas sanitárias vigentes em razão da pandemia do novo coronavírus.

Os batismos por exemplo já estão liberados assim como os casamentos. Mas são necessários alguns cuidados especiais como por exemplo o padre não deve tocar na criança durante o batizado. A água abençoada na pia batismal deve ser usada apenas para um único batismo e quando houver mais que um, deve ser retirada a quantidade necessária para cada um.

Já com relação aos noivos, eles podem ficar sem as máscaras durante a cerimônia desde que mantenham a distância dos convidados. A quantidade de pessoas dentro da igreja é a mesma das demais Missas, 30% da ocupação total e também continua em vigor a obrigatoriedade de distanciamento. Os convidados devem usar a máscara durante todo o tempo que estiverem na igreja.

Já a partir do mês de agosto, os padres poderão organizar grupos menores de crianças para receberem a primeira eucaristia. O sacramento será feito com os catequizandos que estiverem preparados, desde que os pais desejem que seja neste período. Já a Crisma que normalmente é feita pelo bispo diocesano, desta vez também terá alteração.

Os padres poderão realizar, observando as normas definidas pela Diocese como uma quantidade menor de adolescentes, capacidade máxima da igreja, entre outras. É importante também que as equipes de fotógrafos e filmagem que farão as coberturas dessas celebrações estejam atentas às regras de segurança em saúde.

A catequese retorna depois que as aulas forem liberadas pelo Estado. Por enquanto, as famílias podem realizar os encontros em casa seguindo o tema proposto no manual para aquela semana.

Festas de igreja somente permitidas drive-thru e delivery

Algumas festas realizadas pelas igrejas também são tradicionais nas comunidades. A modalidade permitida para a realização de qualquer evento é a drive-thru ou delivery. Contudo, a paróquia ou comunidade deve consultar a autoridade sanitária e demais órgãos municipais para obter a devida autorização e orientações a observar na realização do evento.

Os encontros com noivos e a catequese batismal devem ser realizados na igreja ou salão paroquial, em espaço ventilado e adequado, seguindo as regras de distanciamento e uso de máscara. Caso os participantes tenham filhos, estes não devem estar no encontro, exceto crianças em fase de amamentação. A orientação para o encontro com os noivos é de que participem no máximo dez pessoas, incluindo os assessores do encontro.

Além disso, as reuniões de pastorais e movimentos devem ser feitas pelos meios eletrônicos. Se for imprescindível alguma presencial, a Diocese de Joinville também definiu regras que devem ser seguidas pelos organizadores. Todas as normas que valem até o fim deste ano podem ser acessadas no site diocesejoinville.com.br.

Este conteúdo é gratuito graças aos nossos patrocinadores. O Hospital São José de Jaraguá é um deles. 

Notícias relacionadas

x