Colunas

Coluna: A bola da vez

Amanhã (13) a Frente Democrática (e nem tanto assim) deve definir Décio Lima, como o candidato a governador

12/07/2022

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: A bola da vez

Amanhã (13) a Frente Democrática (e nem tanto assim) deve definir Décio Lima, como o candidato a governador. Ele tem sete das oito legendas de esquerda a seu favor. Agora, a encrenca fica por conta da indicação do vice e ao Senado. Resumindo, pode-se dizer que a candidatura do senador Dario Berger (PSB) foi para as cucuias. O PSB insistirá com Lula e Alckmin para Lima disputar o Senado e Berger o governo. Seria um tiro no pé. Sem apoiadores de Décio, Berger não chega a lugar algum. Ou alguém acredita em um recuo de Lima?

Udo e Moisés

Carlos Moisés (Republicanos) dirá “sim” ao ex-prefeito de Joinville, Udo Dhöller, se ele for apontado pelo MDB como candidato a vice-governador na chapa da reeleição. Moisés o considera como liderança importante no MDB e, ainda, o tem como empresário de respeito. O nome de Udo será tema de conversa entre os deputados estaduais ainda hoje (12). Há quem diga que Udo não irá contra Antidio Lunelli na convenção do partido dia 23. São amigos, de longa data.

Eleições

*Da postura de pré-candidato a governador, o ex-prefeito Antidio Lunelli (MDB) não arreda o pé. E, não diferente de outras lideranças do partido, vai jogando gasolina na fogueira de vaidades, arrogância e intolerância que tomou conta dos dois grupos em que o partido se dividiu depois da proposta de se escolher o candidato a governador em eleição prévia.

* Agora, Lunelli pede a intervenção do presidente nacional do MDB, Luiz Felipe Baleia Tenuto Rossi, no diretório estadual. Para que seja proclamado vencedor da prévia que não houve. O argumento é o de que os outros dois pretendentes- senador Dario Berger, que foi para o PSB, e o deputado federal Celso Maldaner, que agora quer ser senador pelo MDB, desistiram.

*Do diretório nacional faz parte o deputado federal Carlos Chiodini, um dos conselheiros de Lunelli. É o 2º vice-presidente e um dos mentores da candidatura do ex-prefeito de Jaraguá do Sul. Mas Rossi deve ficar longe dessa encrenca. Enfim, a convenção (como em qualquer outro partido) do MDB, marcada para dia 23 de julho, é soberana. E é lá que cobra vai fumar.

*Quem quiser aliança com o Progressistas que se apresente indicando o candidato a vice-governador. A afirmação é do presidente estadual do PP e suplente de deputado estadual, Silvio Dreveck. Já o senador Amin segue em conversa com Jorginho Mello (PL). Em busca de um vice. PL e Progressistas estão isolados, sem parceiros de peso eleitoral.

*Em Criciúma o Republicanos lançou a pré-campanha de Carlos Moisés, que usou helicóptero do Estado para se deslocar para o Sul. Avisado sobre a irregularidade, no trajeto agendou visita ao Hospital Materno Infantil Santa Catarina. De lá foi para outro ato político, dessa vez em Itajaí, com o mesmo helicóptero, mas tratou de colocar o Hospital Marieta Konder Bornhausen no roteiro.

*Está na Assembleia Legislativa o projeto de lei do govenador Carlos Moisés (Republicanos) reduzindo o ICMS sobre combustíveis, energia elétrica e telecomunicações para 17%. Seguindo MP do presidente Jair Bolsonaro e contra a qual Moisés tinha prometido se insurgir. Mas, pensando bem, o ano é eleitoral e ele é candidato a reeleição.

*A suspensão temporária de impostos federais sobre combustíveis já se faz sentir nos postos de revenda e não será diferente com o ICMS estadual, com o que o Estado tem abarrotado os cofres. O que tem garantido a política de cooptação de prefeitos de todos os partidos com recursos públicos, principalmente com o Plano 1000 (mil reais por habitante).

TRE convoca

No próximo dia 18 de julho o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina abre a convocação de eleitores que atuarão como mesários nas eleições de 2 de outubro. Serão cerca de 67 mil mesários, divididos em grupos de quatro pessoas, nas 16.777 mil seções eleitorais de todo o Estado. A estimativa é de que mais de 50% deles sejam voluntários.

Ausência gera multa

É obrigatório atender à convocação, mas com motivo justo para a recusa, como de saúde, por exemplo, é preciso pedir dispensa à Justiça Eleitoral em até cinco dias após receber a nomeação. De acordo com a legislação, quem não comparecer no dia e na hora da eleição, ou abandonar os trabalhos, pode receber multa que varia de R$ 17,57 a R$ 702,80.

Lei sancionada

Já está valendo em Santa Catarina a lei que cria o Programa de Estímulo à Implantação das Tecnologias de Conectividade Móvel. Resumindo, para viabilizar a chegada do 5G (quinta geração de internet móvel) no Estado. Em Florianópolis, o prazo máximo para que o 5G comece a funcionar é 29 de setembro. No resto do Estado, a tecnologia deverá estar disponível para a população até o final de 2029. Em Jaraguá do Sul, até 2027.

Notícias relacionadas

x