Colunas

Coluna: Audiência em Massaranduba

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Ivan Naatz (PL), marcou para o próximo dia 22 de junho a audiência pública para discutir os frequentes casos de contaminação por produtos químicos do Rio Sete de Janeiro, que abastece Massaranduba

14/06/2022

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Audiência em Massaranduba

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Ivan Naatz (PL), marcou para o próximo dia 22 de junho a audiência pública para discutir os frequentes casos de contaminação por produtos químicos do Rio Sete de Janeiro, que abastece Massaranduba. A audiência, aberta ao público, é um pedido de lideranças da comunidade.

Mudanças no rio

Nos meses de janeiro e abril deste ano, o rio apresentou características fora do padrão, como espuma, cor avermelhada e mau cheiro. Levando à interrupção no abastecimento. A audiência acontece às 19 horas, na Câmara de Vereadores. Autoridades, técnicos ambientais, da Águas de Massaranduba, e o Ministério Público devem participar.

Eleições

  • O MDB (leia-se grupo de Celso Maldaner) cancelou reunião que o partido teria ontem (13) para bater o martelo sobre o caminho a ser tomado nas eleições majoritárias de outubro. Era um pedido da bancada de deputados da Assembleia Legislativa.
  • Coincidência ou não, foi pouco depois de Carlos Moisés (Republicanos) conversar em Brasília com o presidente nacional do MDB, deputado Baleia Rossi, que deu aval para que o partido forme na aliança com o governador. Se quiser, o MDB pode indicar o vice e o senador.
  • *Se Esperidião Amin (PP) for, mesmo, candidato a governador, teremos em Santa Cataria três palanques bolsonaristas: o dele, de Jorginho Mello (PL) e de Gean Loureiro. Neste último caso por imposição do coordenador de campanha, João Rodrigues, prefeito de Chapecó. A frase é de Amin sobre Bolsonaro: “Eu quero que ele ganhe”.
  • Décio Lima (PT), pré-candidato a governador, já definiu seu vice. É Gelson Merisio (Solidariedade), derrotado nas urnas por Carlos Moisés (Republicanos) em 2018 quando candidato pelo PSD. O Solidariedade, diga-se, é letra morta. Como partido não soma nada.
  • Mas há uma pedra no caminho de Lima. O senador Dario Berger (PSB), ainda sem vice definido, deixou o MDB para se candidatar ao governo e não ser um mero coadjuvante nas urnas. Significa dizer que a aliança no plano nacional, entre PT e PSB, pode não se repetir em SC.
  • A Rodovia Ivo Silveira, ligando os municípios de Gaspar e Brusque, vai ser duplicada. São R$ 400 milhões de investimentos do Estado em licitação já lançada. Com 17 quilômetros, 11 viadutos, nove passarelas (pedestres), ciclovias marginais e calçadas.
  • Concluída em 1960 pelo ex-governador Heriberto Hülse, a rodovia (trecho da SC-108) foi asfaltada em 1970 no governo do próprio Silveira. Uma boa alternativa para quem segue do Vale do Itajaí para o litoral. Já em Brusque, pela Rodovia Antônio Heil até a BR-101, já duplicada.

Amin diz que é candidato

Em coligação ou não com outros partidos, o PP vai para as urnas de outubro com candidatura própria. Palavras do senador Esperidião Amin, dissipando (?) dúvidas sobre a participação do 11 na eleição para governador. A exemplo do PP, PSD, MDB e PSDB, o PP também está rachado. Boa parte dos prefeitos já se alinhou a Carlos Moisés (Republicanos).

Sobrou o senador

Depois de 12 anos à sombra de ouros partidos, Amin entende que ele próprio é o melhor nome do PP. Eleitoralmente, é! Nenhum outro do Progressista teria condições de disputar a majoritária sem apoio dele. O único e último governador eleito pelo PP foi Amin, em 1998. O senador derrotou o então governador Paulo Afonso Vieira (PMDB) que tentava a reeleição.

Derrota para Colombo

A última disputa do PP na eleição para governador foi em 2010, com a deputada federal Ângela Amin, mulher de Esperidião. Em aliança com o PDT e PT do B. Vitória de Raimundo Colombo (DEM) já no primeiro turno apoiado pelo PMDB, PPS, PRP, PSC, PSDB, PSL, PTB e PTC: 1.815.304 de votos contra 857.698 mil votos para a deputada.

Notícias relacionadas

x