Colunas

Coluna: Colégio Divina Providência, de Jaraguá do Sul em 1953

Alunas do Curso Normal Regional (à direita) devidamente uniformizadas para o dia 7 de setembro.

24/09/2021

Por

Coluna: Colégio Divina Providência, de Jaraguá do Sul em 1953

Eunice Busnardo Delagnolo

A foto, de 7 de setembro de 1953, mostra alunas do Curso Normal Regional (à direita) e de outras séries do Colégio Divina Providência, de Jaraguá do Sul. Todas devidamente uniformizadas e prontas para o desfile em comemoração à Independência do Brasil. (Fonte: Antigamente em Jaraguá do Sul, postado por Eunice Busnardo Delagnolo).

Curiosidades

Uma gema ou pedra preciosa é um mineral, rocha ou material petrificado que, lapidado ou polido, é colecionável ou usado para adorno pessoal vendido em joalherias. Certos minerais, quando polidos, adquirem um brilho extraordinário ganhando o nome de pedras preciosas.

O âmbar é o exemplo mais clássico de pedra preciosa de origem vegetal. Trata-se de uma resina fóssil encontrada em árvores. Embora tenha características minerais, é considerada de origem vegetal por ter sua resina secretada por plantas.

Já a pérola e o coral são de origem animal. A pérola é a única pedra de origem animal fabricada por um ser vivo (ostras) e sua cor vai depender da cor do interior da concha onde foi formada. Já o coral é um esqueleto de organismos marinhos encontrado nos oceanos.

Um diamante azul vale US $ 3,9 milhões por quilate; a jadeíta, US $ 3 milhões; diamante rosa US $ 1,19 milhão; um ruby (US $ 1,18 milhão; esmeralda US $ 350 mil; alexandrita, US $ 70 mil por quilate. A mais barata é a Musgravite, US $ 35 mil por quilate.

Conhecida como a pedra preciosa brasileira mais cobiçada entre os quartzos, a ametista possui uma cor que varia entre roxo e violeta, transparente a semitransparente. Acredita-se que o nome vem da Grécia Antiga, onde a pedra já existia e era vista com frequência. 

No final dos anos 50 as páginas de revistas publicavam anúncios do famoso óleo A Dona. Com recomendação para frituras. Um delicioso pastel ilustrava a campanha, com um simpático garotinho acompanhando a iguaria. O produto era fabricado pela Swift.

Em 23 de setembro de 1998, morreu no Rio de Janeiro o humorista Olívio Henrique da Silva Forte, o conhecido Lilico. Vítima de problemas respiratórios.

Começou a carreira na TV em 1968, no humorístico Balança Mas Não Cai. Lilico foi personagem do programa A Praça da Alegria. Usava como bordão o refrão “Tempo bom, não volta mais. Saudade… de outros tempos iguais!

 

Notícias relacionadas

x