Colunas

Coluna: Com o pé no freio

Amin, com dois mandatos e duas derrotas seguidas (ambas para Luiz Henrique da Silveira/MDB) sonhava com o presidente no PP e, evidentemente, em seu palanque.

28/11/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Com o pé no freio

Divulgação

A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL no dia 30 de novembro arrefeceu o apetite do senador Esperidião Amin (PP) que, aos 74 anos, já se via tentado, pela quinta vez, ser governador de Santa Catarina.

Amin, com dois mandatos e duas derrotas seguidas (ambas para Luiz Henrique da Silveira/MDB) sonhava com o presidente no PP e, evidentemente, em seu palanque. Queiram ou não, Bolsonaro ainda renderá muitos votos em Santa Catarina. Que o diga o amigo, senador e candidato a governador, Jorginho Mello, o dono do PL em SC.

Alianças pelo poder

Mas nada que impeça aliança PL e PP, com a deputada Ângela Amin, mulher de Esperidião, na chapa de Mello como candidata a vice-governadora. Porém, o desempenho dela nas urnas não tem sido bom. Em 2018, foi a oitava mais votada para a Câmara dos Deputados (86.189 mil votos).

Em 2020, obteve apenas a quarta votação (17.515 mil votos) na disputa pela Prefeitura de Florianópolis, que governou por dois mandatos consecutivos (1997/2004). Aliás, em SC o PP, PSDB, PSD até o MDB, só para citar os maiores, nunca recusaram poleiros disponíveis.

Berger diz ser o melhor

Senador Dario Berger (MDB), pré-candidato a governador, não citou nomes, mas ao dizer que “ambos são traços” (não pontuam) em pesquisas sobre a eleição majoritária de 2022, fez clara alusão ao prefeito Antidio Lunelli e ao deputado Celso Maldaner.

Em entrevista ao jornalista Ânderson Silva (NSCTotal), disse que ele deveria ser o candidato pelo histórico de eleições que venceu nos últimos anos: entre 1997 e 2013, prefeito de São José e Florianópolis; em 2014, senador.

Abre aspas: “- Disputo com eles o que quiserem… corrida de bicicleta…Se eu perder para eles, não mereço ser candidato”. A escolha do MDB segue marcada para 19 de fevereiro.

Mobilidade urbana

Câmara de Vereadores aprovou projeto do prefeito Antídio Lunelli (MDB) para compra dos chamados semáforos inteligentes. Em 2019 o JDV publicou reportagem sobre o projeto que, agora, está saindo do papel.

Os equipamentos fazem a contagem em tempo real dos veículos trafegando em uma via. E, automaticamente, abrem mais o menos tempo para o sinal verde. O trânsito também será acompanhado em uma central de monitoramento. Serão 14 semáforos ao custo de R$ 760 mil. A isso se dá o nome de mobilidade urbana, na prática.

Enfermagem com piso nacional

Aprovado pelo Senado o primeiro piso salarial nacional para os profissionais da enfermagem, que compreendem enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, além de parteiras. Até agora apenas a lei número 7.498, de 25 de junho de 1986, regulamenta a profissão.

Enfermeiros na saúde pública e privada, por jornada de trabalho de 30 horas semanais, terão remuneração mínima de R$ R$ 4.750. Para os técnicos de enfermagem, salário mínimo de R$ 3.325,00 (70%) e de R$ 2.375,00 (50%) para auxiliares de enfermagem e parteiras.

Valor original era maior

Na Prefeitura de Jaraguá do Sul, os salários de enfermeiros (as) variam de R$ 4.417,62 a R$ R$ 6.682,07. E em apenas três níveis ficam abaixo do valor aprovado pelo Senado.

O projeto original, do senador Fabiano Contarato (Rede/ES), foi apresentado em 12 maio (Dia Internacional da Enfermagem) de 2020 e estabelecia um mínimo de R$ 7.315,00 para enfermeiros. Agora, a proposta vai para a aprovação da Câmara dos Deputados. No Brasil, são 2,4 milhões de enfermeiros. Destes, 85% mulheres e 53% pretos e pardos.  (Fonte: Agência Senado)

Notícias relacionadas

x