Colunas

Coluna: Lunelli sai em campanha

Bem mais realista que o discurso do presidente estadual do MDB, deputado federal Celso Maldaner, ontem o prefeito Antidio Lunelli disse que esta semana, licenciado do cargo, sai em campanha pelo Estado

25/01/2022

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Lunelli sai em campanha

Bem mais realista que o discurso do presidente estadual do MDB, deputado federal Celso Maldaner, ontem (24) o prefeito Antidio Lunelli disse que esta semana, licenciado do cargo, sai em campanha pelo Estado para “brigar por uma possível candidatura”. No sábado, Maldaner se reuniu com presidentes de diretórios municipais da região para definir o candidato a governador do partido pela vontade da maioria destas lideranças no Vale do Itapocu.

Maldaner apoia o prefeito

Essa consulta ocorre nas 36 coordenadorias regionais do partido. Mas o presidente estadual do MDB, que no ano passado se apresentou como um dos três nomes do partido, anunciou, ainda no sábado, que o candidato já é o prefeito Antidio Lunelli. Só relembrando: em 2018, embora uma eleição atípica, a candidatura forçada do então deputado Mauro Mariani não teve apoio de boa parte do MDB. E deu no que deu. Um amargo terceiro lugar com 836 mil votos.

MDB só tem um nome

Mas agora, a oito meses da eleição, a alternativa é Lunelli já que o senador Dario Berger acertou sua filiação no PSB. Mas ainda falta combinar com a bancada do MDB na Assembleia Legislativa, que apoia abertamente a reeleição do governador Carlos Moisés (sem partido) e com dezenas de prefeitos, vereadores e outras lideranças emedebistas já engajadas na mesma causa. Feito isso e, finalmente, ainda será preciso  a homologação pelo diretório estadual.

Secretários candidatos

Govenador Carlos Moisés (sem partido) não vai encarar a reeleição desamparado do primeiro escalão. Além do apoio declarado de deputados estaduais do MDB, ao menos dez secretários devem entrar na disputa das eleições proporcionais para a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados. Entre eles, seis devem se filiar ao (novo) partido que o governador, eleito pelo PSL em 2018, escolher. Obrigatoriamente até seis meses antes das eleições

No partido de Moisés

André Motta (Saúde), Edilene Steinwandter (EPAGRI/Ciram), Janice Krasniak (Fundação Catarinense de Educação Especial), Leandro Lima (Administração Prisional e Socioeducacional, Luciano Bulligon (Desenvolvimento Econômico Sustentável), Claudinei Marques, (Desenvolvimento Social) e Thiago Vieira, secretário de Infraestrutura.

De outros partidos

Luiz Fernando Vampiro, da Educação (MDB/deputado estadual licenciado) para a Câmara dos Deputados. Lucas Esmeraldino (Articulação Nacional), ainda não decidiu por qual partido irá para as eleições e se para a Câmara ou Assembleia Legislativa. E Altair Silva (PP/deputado estadual licenciado e Secretário da Agricultura) à reeleição para deputado estadual.

Ao que tudo indica o PSDB catarinense, exceto a bancada na Assembleia Legislativa, que respaldou a pré-candidatura do governador João Dória Jr. (SP) vai mesmo apoiar o secretário de Turismo de São Paulo, o catarinense Vinicius Lummertz, ao governo do Estado. Ontem (24) os tucanos praticamente descartaram a pré-candidatura do ex-deputado Gelson Merisio, que havia apoiado a indicação do governador Eduardo Leite (RS). A única disputa eleitoral da qual Lummertz participou foi em 1996 como candidato do PFL à prefeitura de Florianópolis. Foi o quarto mais votado entre seis concorrentes.

Notícias relacionadas

x