Colunas

Coluna: MDB terá candidato

Maldaner refuta a possibilidade de o MDB indicar o vice na chapa de Moisés (sem partido) ou em outra coligação

18/01/2022

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: MDB terá candidato

Deputado federal Celso Maldaner, também presidente estadual do MDB, rebate especulações e garante que o partido terá, sim, candidato próprio a governador. Ou seja, será protagonista do embate nas urnas em 2022, numa disputa que promete ser a mais apertada dos últimos anos. Maldaner refuta a possibilidade de o MDB indicar o vice na chapa de Moisés (sem partido) ou em outra coligação. O convite pessoal (de Moisés) houve e foi confirmado pelo próprio prefeito, que agradeceu e deixou para o MDB decidir.

Partido segue rachado

Com Maldaner abraçando Antidio Lunelli e se a vontade do deputado e seu grupo prevalecer, o prefeito de Jaraguá do Sul será o cabeça de chapa. Até porque não há outro nome em evidência no MDB. Porém, o partido está longe de uma unanimidade. Maldaner sempre apoiou o prefeito, em tentativa de expurgo de outro pretendente, o senador Dario Berger. Mas, enfrenta resistências da chamada “velha guarda” do partido liderada por ex-governadores. E da bancada dos deputados (nove) estaduais.

De mala e cuia

O senador Berger está com os dois pés no PSB. Para ser o candidato de uma frente de esquerda apoiando o ex-presidente Lula da Silva (PT). Mas, quer sair enxotado para posar de vítima. É de se imaginar Berger abraçado àqueles que sempre rotulou como ladrões da República. E vice-versa. Mas, e daí, não é? O PSB será seu sexto partido depois do PDS (1980-1987), PL (1987-1991), PFL (1991-2003), PSDB (2003-2007). Desde 2007 está no MDB que, dia 3 de fevereiro, terá um encontro decisivo em Florianópolis.

Esperando definições

Enquanto as candidaturas majoritárias de grandes partidos como o PP, MDB e PSDB não se definem, há uma agonia palpável entre candidatos que vão disputar a reeleição e os que buscam vagas na Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa pela primeira vez. Mais ainda porque, agora, é cada um por si e salve-se quem puder. Afinal, com as coligações proporcionais proibidas é preciso ancorar o barco em um porto seguro. E logo!

Pela renovação?

Esperidião Amin (PP), Raimundo Colombo (PSD), Décio Lima (PT), Dário Berger (MDB, ainda), Gean Loureiro (DEM, ainda), Jorginho Mello (PL), Kennedy Nunes (PTB), entre outros menos cotados, afiam os discursos pela “renovação na política”. Fosse verdade, seriam candidatos? O mais novo em cena é o governador Carlos Moisés (sem partido), eleito pelo arrastão da tal “nova política”. Mas que, na prática, apenas consolidou a regra do “toma lá, dá cá”.

A SC-108 Sul

A exemplo do trecho entre Guaramirim e Massaranduba, o trajeto de 11 kms da SC-108 ligando os municípios de Cocal do Sul (antigo distrito de Urussanga) e a vizinha Urussanga também será duplicado. O edital de licitação da obra foi assinado pelo governador Carlos Moisés (sem partido) na semana passada durante evento em Laguna. Para quem não sabe, essa rodovia, segmentada, tem 472,26 km de extensão.

Rodovia corta 25 municípios

A SC-108 começa em Joinville, seguindo por Guaramirim, Massaranduba, Blumenau, Gaspar, Brusque, São João Batista, Major Gercino, Angelina, Rancho Queimado, Anitápolis, Santa Rosa de Lima, Rio Fortuna, Braço do Norte, São Ludgero, Orleans, Urussanga, Cocal do Sul, Morro da Fumaça, Criciúma, Forquilhinha, Meleiro, Turvo, Ermo, Jacinto Machado e Praia Grande, na divisa com o Rio Grande do Sul.

Notícias relacionadas

x