Colunas

Coluna: Moisés em Guaramirim

Em Guaramirim, Moisés terá a companhia de Antidio Lunelli, indicado pelo MDB como candidato a vice-governador? Estranhamente, até ontem o governador ainda não havia dito “sim” à indicação do MDB

23/06/2022

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Moisés em Guaramirim

Prefeito Luís Antônio Chiodini (PP) recebe hoje (23), ainda pela manhã, o governador Carlos Moisés (Republicanos), que traz a confirmação de R$ 57 milhões para obras estruturantes no município. Já beneficiado nesse governo com a duplicação do trecho urbano da BR-280 (uma parte será inaugurada hoje), promessa do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) que nunca saiu do papel.

Clima de expectativa

Em Guaramirim, Moisés terá a companhia de Antidio Lunelli, indicado pelo MDB como candidato a vice-governador? Estranhamente, até ontem (22) o governador ainda não havia dito “sim” à indicação do MDB. Nem mesmo feito uma referência à Lunelli. Há pouco tempo, Moisés ofereceu a vaga ao partido (a de senador também), mas tinha preferência por Moacir Sopelsa (MDB), deputado e presidente da Assembleia Legislativa.

Com o PP no Sul

Aliás, Moisés acaba de convidar o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP,) para ser o coordenador da campanha na região Sul do Estado. Ponticelli, do mesmo partido do prefeito Chiodini, rompeu com o senador Esperidião Amin (PP) e liderou uma revoada de prefeitos do Progressistas para a trincheira do governador. Que, agora, espera pelo “aceito”. Foi em Tubarão que Moisés fez carreira como bombeiro militar.

Eleições

  • Em placar de 4 votos a 3, o Tribunal Superior Eleitoral autorizou que uma coligação oficial de partidos para governador tenha mais de um candidato a senador. Porém, obrigatoriamente de partidos das alianças. Uma mão na roda para o PSDB entrar na campanha de Carlos Moisés (Republicanos). Esperidião Amin (PP) também quer os tucanos.
  • Candidato à reeleição como prefeito de Florianópolis em 2020, Gean Loureiro (União Brasil) apareceu em vídeo em cenas de sexo com uma servidora pública dentro da secretaria municipal de Turismo. Foi reeleito em primeiro turno com 56,43% por cento dos votos válidos. Contra 18,13%  do  segundo colocado.
  • Agora, Gean Loureiro (União Brasil) enfrenta novas denúncias de assédio contra servidoras públicas da Prefeitura de Florianópolis. A denúncia é do vereador Maikon Costa (PL), correligionário e cabo eleitoral do também candidato a governador, senador Jorginho Mello (PL).
  • Na propaganda partidária exibida na televisão, o ex-governador Raimundo Colombo (PSD), candidato a senador na aliança com o União Brasil, cita Brasília- e apenas Brasília- como o único lugar onde tudo se resolve.
  • Colombo exorta o eleitor a pensar nisso quando votar em candidatos que vão exercer seus mandatos na capital do país. Ele já foi senador, mas renunciou a quatro anos de mandato para se candidatar a governador. Queria um terceiro mandato, mas foi “rifado” pelo próprio PSD.
  • Antônio Ceron (PSD), atual prefeito de Lages, cargo que Colombo exerceu por dois mandatos (são amigos pessoais) já decidiu: para governador vai pedir votos para Carlos Moisés (Republicanos) e, para senador, Raimundo Colombo (PSD).
  • Tramita no Senado uma Proposta de Emenda Constitucional do senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) pondo fim à reeleição de prefeitos, governadores e presidentes da República, aumentando de quatro para cinco anoso tempo de mandato. Mas mantendo a reeleição perpétua para vereadores, deputados e senadores. Ao lixo com essa PEC!

Deu em nada

Processo Administrativo Disciplinar instaurado pela secretaria estadual da Saúde destinado a investigar o envolvimento de servidores públicos na compra de 200 respiradores para pacientes internados em UTIs com a Covid 19, terminou em pizza. A compra fraudulenta gerou um dos dois pedidos de impeachment contra o governador Carlos Moisés (Republicanos).

Sem culpados

Quatro dos cinco indiciados foram absolvidos e apenas a ex-Superintendente de Gestão Administrativa, Marcia Pauli, foi punida porque, segundo os membros da comissão que investigou a compra, “não observou normas legais”. Por isso, vai perder 15 de salários. E tudo o mais fica no dito pelo não dito.

Ainda sem ressarcimento

Mas, e afinal, onde foram parar os R$ 33 milhões pagos adiantados pelo Estado, que nunca recebeu os equipamentos encomendados? O governo diz que já bloqueou R$ 38 milhões em bens das empresas envolvidas no golpe, sejam imóveis, dinheiro, veículos, ações, etecétera, como forma de ressarcir os cofres públicos. O resto é silêncio de cemitério.

Notícias relacionadas

x