Colunas

Coluna: O poder dos influencers

O marketing de influência é eficaz para divulgar marcas e produtos, conteúdos superficiais e efêmeros, mas também há pérolas a serem encontradas.

10/07/2022

Por

Sônia Pillon é jornalista e escritora, formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduada em Produção de Texto e Gramática pela Univille. É Presidente de Honra da ALBSC Jaraguá do Sul.

Coluna: O poder dos influencers

Vivemos em um mundo bizarro. Hoje, se você abrir um canal no Youtube, ou um blog, para exibir algum talento específico e cair nas graças do público, estará com a vida ganha! Poderá passar de um mero(a) desconhecido (a) para uma celebridade da internet, com milhões de seguidores em um piscar de olhos e contratos milionários. Famosos do dia para a noite, superam de longe os perfis tradicionais.

Inegavelmente, o marketing de influência é uma ferramenta extremamente eficaz para divulgar marcas e produtos. Nesse universo de youtubers e blogueiros de sucesso, conhecimento e preparo para opinar e orientar nem sempre andam juntos. Não raro, encontramos conteúdos superficiais e efêmeros. Evidentemente, há exceções e não podemos generalizar. Sim, há pérolas a serem procuradas e encontradas, felizmente!

Quem tem acompanhado as notícias da última semana se deparou com muitas informações sobre o influenciador digital baiano Iran Santana Alves, mais conhecido como “Luva de Pedreiro”. Nascido na até pouco tempo desconhecida cidade de Quijingue, no sertão da Bahia, esse jovem de 20 anos é um verdadeiro fenômeno, com 14 milhões de seguidores no Instagram e 17 milhões no TikTok. Os vídeos começaram com as comemorações de gols em um campo de várzea e bordões criados por ele. Até março deste ano, ele nunca tinha viajado de avião e recentemente voltou do Marrocos, após polêmica com ex-empresário e cobrança de dívida de R$ 2 milhões.

Um dado interessante é que o ex-jogador Falcão, estrela do Jaraguá Futsal em seus dias de glória, agora está agenciando o Luva de Pedreiro, que é analfabeto. Falcão garante que condicionou seu trabalho à exigência de que o influenciador aprenda a ler e escrever e siga com os estudos. Com certeza, não há o que discutir quanto a isso. Quem sabe assim ele também poderá influenciar para que os seus seguidores valorizem a Educação e se tornem cidadãos mais conscientes? Isso deveria valer para todos os que influenciam e são influenciados… O Brasil, e o mundo, precisam muito disso!

Notícias relacionadas

x