Colunas

Coluna: Parabéns, vibrante Jaraguá!

Nesta segunda-feira, 25 de julho, comemoramos os 146 anos de fundação de Jaraguá do Sul. Quem poderia imaginar que a antiga “Colônia Jaraguá”, desbravada por Emílio Carlos Jourdan e seus trabalhadores, se transformaria em um dos maiores polos industriais catarinenses, atraindo migrantes de todo o país em busca de trabalho…

24/07/2022

Por

Sônia Pillon é jornalista e escritora, formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduada em Produção de Texto e Gramática pela Univille. É Presidente de Honra da ALBSC Jaraguá do Sul.

Coluna: Parabéns, vibrante Jaraguá!

Nesta segunda-feira, 25 de julho, comemoramos os 146 anos de fundação de Jaraguá do Sul. Quem poderia imaginar que a antiga “Colônia Jaraguá”, desbravada por Emílio Carlos Jourdan e seus trabalhadores, se transformaria em um dos maiores polos industriais catarinenses, atraindo migrantes de todo o país em busca de trabalho e qualidade de vida? Sem sombra de dúvida, nas terras colonizadas por Jourdan, empreendedorismo é uma vocação levada a sério.

Industrial, urbana e rural, as três características de Jaraguá do Sul que a tornam única. É “A cidade que não pode parar”, não é mesmo?

A primeira vez em que estive por aqui foi em 1994, um ano após sair de Porto Alegre e me mudar definitivamente para Santa Catarina. Na ocasião, me chamou a atenção o grande fluxo de veículos pelas principais vias do centro. Além do poderio industrial, ficou bem claro que o comércio era um dos alicerces dessa cidade. Emanava progresso. A frase “Grandeza pelo Trabalho”, que consta na Bandeira do Município, não poderia ser mais apropriada.

Quando finalmente passei a viver aqui, em 1996, a cidade ainda ostentava o título de “Capital Catarinense da Malha” e muitas lojas da área central fechavam para o almoço. Ainda não havia o Calçadão da Marechal Deodoro, nem o shopping center. Mas Jaraguá se empenhava em acelerar o processo de urbanização, consolidado a partir dos anos 2000, com a entrega da grandiosa sede da Sociedade Cultura Artística (Scar), que se tornaria um dos maiores palcos do Estado. E a partir do sucesso do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), as portas da Scar passaram a ser abertas para o mundo.

Hoje também temos o Centro de Inovação, que abriga startups, o crescimento do agroturismo e inúmeras outras iniciativas que se destacam. A exuberância das paisagens do Vale surpreende e encanta, sempre.

É claro que ainda há muito o que se fazer e é preciso unir esforços para que tenhamos uma cidade ainda melhor!

Ao apagarmos as 146 velas do bolo de aniversário, não podemos esquecer de que é preciso fazer jus ao refrão do Hino do Município: “Jaraguá do Sul, és vibrante! Não haverá quem te suplante!”. Depende de todos nós. Exercer a cidadania é contribuir para isso!

Notícias relacionadas

x