Colunas

Coluna: Socialismo, um sonho não existente

Socialismo, sistema político e econômico pensado e teorizado, sem haver comprovação de implementação no globo terrestre.

29/09/2021

Por

Professor Pesquisador, Mestre em Educação, Especialista em Planejamento Educacional e Docência do Ensino Superior, Historiador e Pedagogo. Entusiasta da Educação

Coluna: Socialismo, um sonho não existente

Aprender para crescer

Em continuidade a nossa imersão de saberes, conhecimentos, hoje vamos conhecer o socialismo. Sistema político e econômico pensado e teorizado, sem haver comprovação de implementação no globo terrestre. Talvez, em partes, foram usados.

O socialismo

É uma doutrina política e econômica que surgiu entre o fim do século XVIII e a primeira metade do século XIX, no contexto da Primeira Revolução Industrial. Baseada sobretudo no princípio de igualdade, a corrente socialista emergiu como uma forma de repensar o sistema capitalista que vigorava na época.

Socialismo não é comunismo

De uma forma geral, quando falamos em socialismo frequentemente associamos o termo à corrente marxista, mas essa não é a única forma de socialismo existente.

Socialismo hoje

A partir do século XX, ocorreram no mundo várias tentativas de implementação de regimes socialistas. Atualmente, alguns países afirmam apresentar um sistema baseado em tais princípios, mas será que eles são mesmo socialistas?

Como surgiu o socialismo?

No final do século XVIII, a Europa passava por um processo que gerou mudanças em todas as esferas da sociedade: a Revolução Industrial. Essa revolução não só modificou a economia dos países europeus, mas também causou grandes transformações sociais.

Maios de produção

Com a modificação dos meios de produção e, por consequência, o surgimento do ambiente fabril, o sistema capitalista entrava em uma nova fase: ele deixava de ser o capitalismo comercial mantido desde o século XV para assumir a forma de um novo capitalismo industrial.

Êxodo rural
Com a crescente expansão das indústrias, as cidades cresciam rapidamente, sem qualquer planejamento. Ao mesmo tempo, muitos trabalhadores migraram do meio rural para as cidades, onde a produção fabril empregava a maior parte da mão-de-obra.

Proletariado e burguesia

Enquanto isso, a sociedade europeia se dividia entre dois grandes grupos: de um lado, um proletariado que nada possuía além da própria mão-de-obra; do outro, uma classe burguesa que detinha a maior parte da riqueza produzida.

Cidades

Essa segregação social se refletia na organização da cidade, com os trabalhadores pobres sendo deslocados para as margens da área urbana, onde predominava a miséria.

Condições de trabalho

Esse novo proletariado fabril encontrava-se sob as mais duras condições de trabalho, onde não existia nenhum meio legal de proteção: os salários eram baixos e as jornadas diárias de trabalho chegavam a 16 horas, não possuíam direito a nenhum dia de descanso; não existia limite de idade, as crianças trabalhavam desde cedo e os idosos não tinham direito à aposentadoria; além disso, contavam com péssimas condições de segurança no ambiente de trabalho.

Alternativas intelectuais

Neste contexto de pleno desenvolvimento do capitalismo, mas, em simultâneo, de rápido aumento da miséria, alguns intelectuais passaram a buscar alternativas que pudessem melhorar esse cenário social. Foi em resposta a esses problemas que pensadores criaram a teoria socialista, como um caminho para organizar uma sociedade onde não houvesse desigualdades.

Pensadores científicos

Os primeiros pensadores dessa corrente foram Saint-Simon, Charles Fourier e Robert Owen. Cada um à sua maneira, esses autores fizeram parte da primeira forma de apresentação da ideologia socialista, mais tarde denominada socialismo utópico. Posteriormente, surge o socialismo científico, tendo como teóricos mais notáveis os alemães Friedrich Engels e Karl Marx.

Comparando

Capitalismo Socialismo
Os meios de produção pertencem aos investidores e capitalistas. Os meios de produção pertencem ao Estado.
A produção visa ao lucro. A produção visa à satisfação das necessidades básicas da comunidade.
Há concorrência e pressão para que se trabalhe sempre mais. A concorrência e a pressão para aumentar a produção são para mostrar que os países socialistas são eficientes.
Existem classes sociais. As classes sociais são reduzidas até desaparecer.
Há liberdade de religiosa. A religião é vista como um instrumento a mais do capitalismo e, muitas vezes, os praticantes são perseguidos.
O mercado dita as prioridades econômicas da sociedade. O Estado planifica a economia em ciclos.
O motor que move a sociedade é a acumulação de bens. O grande estímulo social seria a garantia de felicidade com o mínimo para sobreviver para todos, sem que nada falte.
O livre-arbítrio e o individualismo consistem o pilar político. Desta maneira, o indivíduo participa das decisões políticas. O indivíduo deve levar em conta as necessidades da coletividade antes de tomar uma decisão como a escolha da profissão, por exemplo.

Notícias relacionadas

x