Colunas

Coluna: Você sabe o que é Catfish?

Atenção! Texto especialmente direcionado às mulheres. Pensando bem, o alerta é para todos os que se preocupam com as armadilhas e artimanhas na web.

22/05/2022

Por

Sônia Pillon é jornalista e escritora, formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduada em Produção de Texto e Gramática pela Univille. É Presidente de Honra da ALBSC Jaraguá do Sul.

Coluna: Você sabe o que é Catfish?

Esse texto é especialmente direcionado às mulheres.  Mas, não somente para elas! Pensando bem, é para todos os que se preocupam com as armadilhas e artimanhas que rondam as ações on-line.

Navegar pela web pode ser uma experiência enriquecedora, prazerosa e extremamente útil, se pensarmos em todos os benefícios que o mundo virtual tem a nos oferecer. E especialmente com o advento da pandemia, os serviços on-line foram expandidos, assim como o sistema de trabalho home office, facilitando ainda mais o nosso dia a dia, não é mesmo?

É evidente que a nossa vida sem a internet se tornou impensável. Porém, também é inegável que a navegação por esse vasto mar pode trazer sérias consequências se o timoneiro não estiver atento aos perigos: é preciso estar com os olhos bem abertos e deixar a ingenuidade de lado, na hora de pescar por essas águas…

E por falar em pescaria… Você já ouviu falar na expressão inglesa Catfish? A tradução literal é gato-peixe, mas na gíria é uma referência aos que criam perfis fakes nas redes sociais, com fotos, informações falsas e muita, muita lábia para “fisgar” as suas vítimas, escondendo a própria aparência, condição social, e enganando emocional e financeiramente.

Os assinantes da plataforma Netflix que já assistiram o documentário “O golpista do Tinder” puderam constatar o modus operandi desses indivíduos. Conta a história do israelense Shimon Hayut, que foi denunciado por três mulheres pelo roubo de 10 milhões de dólares. Hayut chegou a ser condenado a 15 meses de prisão, mas cumpriu apenas cinco meses… E, acredite: com a repercussão do documentário, Shimon Hayut virou “celebridade”, convidado a ser presença vip em casas noturnas pelo mundo, com cachês que giram em torno de 20 mil dólares!

Você deve estar se perguntando: “E as vítimas dele?”. As três se uniram e fizeram uma rifa virtual para recuperar o dinheiro que perderam… Felizmente, elas superaram e seguiram em frente, mas quantas mulheres passaram pela mesma experiência, de serem lesadas e se sentirem devastadas? Quantas não denunciaram por constrangimento? E, o que é pior: Quantas ainda estão prestes a cair nesse tipo de golpe, acreditando que encontraram “um príncipe em um cavalo branco”?

Portanto, se você ainda não assistiu “O golpista do Tinder”, recomendo que assista. Entre o mundo virtual e o real, há muitas diferenças a serem percebidas.

Como dizia minha saudosa avó Clara, “quando a esmola é muito grande, até o santo desconfia”… #Ficaadica.

Notícias relacionadas

x