Geral

Com quase 30 mil votos de diferença sobre Darci de Matos, Adriano Silva é eleito prefeito de Joinville

Para o colunista político, Celso Machado, o futuro de Joinville é incerto. “Adriano vai pegar uma prefeitura atolada em dívidas e dependerá de muita competência do primeiro escalão de governo.

30/11/2020

Por

Com quase 30 mil votos de diferença sobre Darci de Matos, Adriano Silva é eleito prefeito de Joinville

Adriano Silva do partido Novo foi eleito prefeito de Joinville, neste domingo (29), vencendo Darci de Matos no segundo turno com 145.269 votos (55,43%), depois de três tentativas consecutivas do candidato do PSD de disputar a prefeitura da maior cidade do estado. Silva é o primeiro prefeito do Novo em todo o país.

Darci de Matos, apesar de ter ficado em primeiro lugar no primeiro turno com 25,30%, perdeu no segundo por 28.476 votos a menos que Adriano. “Meu trabalho por Joinville e Santa Catarina, como Deputado Federal, continua amanhã mesmo. Seguirei fazendo o meu melhor para honrar a confiança de todos vocês”, escreveu o candidato, após a derrota, nas redes sociais.

Silva também comentou a vitória nas redes sociais.  “Joinville está nas mãos do povo, e queremos fazer um governo conectado com cada um, mesmo com quem não votou 30. Porque é normal pensarmos diferente, mas estamos dispostos a aprender juntos e encontrar o que nos une. Por isso, queremos governar dialogando com você, cidadão de Joinville. Compreendendo as necessidades e construindo, juntos, as soluções. Porque é assim que chegaremos no destino certo”, registrou.

Leia mais:

Moisés é absolvido no processo de impeachment e retorna ao cargo de governador

Homem é preso suspeito de abusar de criança em Jaraguá do Sul

Vídeo: Jaraguaense ganha o título de Miss Teen Simpatia de Santa Catarina

Para o colunista político, Celso Machado, o futuro de Joinville é incerto. “Adriano vai pegar uma prefeitura atolada em dívidas e dependerá de muita competência do primeiro escalão de governo. Ele promete nomear alguns servidores de carreira conhecedores da prefeitura “pelo lado de dentro”. Mas e se o eleito fosse o Darci de Mattos? Que experiência ele tem na administração da coisa pública? A resposta é: nenhuma. Então, pode- se dizer que, no caso de Joinville, o futuro é uma incógnita”, avalia. “Ainda acrescento: será necessário diálogo franco e aberto com os vereadores, porque nenhum dos dois tem a maioria na câmara”.

Adriano Silva tem 42 anos, é empresário do setor farmacêutico, já foi vice-presidente da Associação Empresarial de Joinville e presidente do Conselho da Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais.

Em contrapartida, Darci de Matos é professor, técnico agrícola e político de carreira. Foi deputado à Assembleia Legislativa de Santa Catarina (2007 — 2011) e na legislatura de (2011 — 2015). Nas eleições de 2014, em 5 de outubro, foi reeleito deputado estadual para a (2015 — 2019). Nas eleições de 2018 foi eleito deputado federal por Santa Catarina, pelo PSD, com 68.130 votos.

Independente da vitória ou derrota dos candidatos que disputavam o segundo turno, um outro elemento chama a atenção nas eleições de Joinville: o número de abstenções de votos. Quase 115 mil pessoas deixaram de votar, um total de 28,36 %, 18.679 votos nulos (6,46%), e 8.328 votos em branco (2,88%). “Há fatores diversos para esse número de abstenções: a pandemia do coronavirus, o calor sufocante que afeta os mais idosos e, em boa parte, a descrença em governos que resolvam o básico: bom atendimento na saúde, boas escolas, creches públicas, transporte público confortável e confiável a ponto de se deixar o carro em casa. Nada de extraordinário, só o básico. Ruas bem conservadas. Ninguém quer o impossível, apenas que os impostos retornem na mesma proporção em que são cobrados”, avalia o jornalista Celso Machado. 

 

Notícias relacionadas

x