Esportes

Com R$ 165 milhões em dívida, Figueirense solicita recuperação judicial e pode decretar falência

O Alvinegro vive a maior crise na história centenária do clube, que está na Série C do Brasileirão

12/03/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

Com R$ 165 milhões em dívida, Figueirense solicita recuperação judicial e pode decretar falência

O Figueirense entrou com um pedido de recuperação judicial junto à Vara Regional de Recuperações Judiciais, Falências e Concordatas de Florianópolis.

No documento de 35 páginas, assinado por cinco advogados – Luiz Roberto Ayub, Pedro F. Teixeira, Filipe Guimarães, Pablo Cerdeira e Ana Paula Barbato – de duas empresas do ramo, eles apontam o risco de W.O. em razão da possibilidade de não manter um time ao longo da temporada 2021.

Leia mais

“Após meses de rigorosos estudos, readequações, simulações e projeções financeiras, é com certo dissabor que se constata: o Figueirense, instituição centenária de destaque no desporto brasileiro, não possui condições de continuar a sua operação-futebol sem o auxílio de um procedimento que lhe permita renegociar seu endividamento passado de maneira organizada, global e com proteção dos seus ativos”, diz um dos trechos do documento.

Além disso, em outro trecho é apontado o valor mensal gasto pelo clube, somando o Figueirense FC e a Figueirense Ltda. 

 

A primeira tem uma folha de pagamento em torno de R$ 150 mil, enquanto a empresa paga por mês R$ 60 mil, porém, outros R$ 120 mil a título de tributos também entram na conta final. Ainda, destaca que o não aval para a recuperação judicial pode gerar o risco “do desparecimento de uma instituição centenária e pioneira”.

O Alvinegro vive a maior crise na história centenária do clube, que está na Série C do Brasileirão. 

O Figueira acumula R$ 165 milhões em dívidas dos quais R$ 81 milhões são vinculados ao Figueirense FC e R$ 84 milhões à Figueirense Ltda. A partir de 2017, com a chegada da Elephant (empresa gestora do clube até 2019), a situação se agravou.

Em agosto de 2019, o elenco profissional entrou em grave pelos atrasos salariais e no recolhimento do FGTS. Com mais uma promessa não cumprida pela diretoria, os jogadores se recusaram a entrar em campo contra o Cuiabá pela Série B, que foi vencedor por W.O. 

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x