Cultura

Conheça os finalistas do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul

Há, sempre, quatro candidatos à premiação com troféu em 20 categorias. Os premiados serão conhecidos no dia 27, pela internet, em horário a ser definido.

10/06/2020

Por

Conheça os finalistas do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul

 O Instituto Fescine, responsável pela realização da terceira edição do Festival de Cinema de Jaraguá do Sul, que ocorre nos dias 25, 26 e 27 de junho, divulgou lista dos candidatos para premiação em diversas categorias.

A seleção ocorreu com a ajuda dos seguintes jurados: Guilherme Fernandes, ator, produtor e diretor, Jaraguá do Sul; Jo Rauen, cineasta e produtor, Florianópolis; Müller Barone, diretor e roteirista, Curitiba  (SC) e Caio Rubini, publicitário e diretor, São Paulo (SP). Há, sempre, quatro candidatos à premiação com troféu em 20 categorias. Os premiados serão conhecidos no dia 27, pela internet, em horário a ser definido.

Neste ano o evento será online. “Por meio da internet, o Instituto Fescine e a curadoria levarão as sessões para o mundo todo, possibilitando que as pessoas permaneçam em isolamento social e apreciem filmes de excelente qualidade”, pondera a secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Cleide Mosca.

 

MELHOR FILME (por gênero)

Animação 

Curta-metragem: Apneia ( PR);

Curta-metragem: Contra Filé (RJ);

Curta-metragem: Sangro (SP);

Curta-metragem: O Celaticomus (MG).

 

Comédia 

Curta-metragem: Paraíso Insólito (RJ);

Curta-metragem: Homem do Saco Parte 1|A Investigação (SC);

Curta-metragem:  Minha Querida Ansiedade (SP);

Longa-metragem: Uma Carta Para Ferdinand (SC). 

 

Experimental

Curta-metragem: O amor romântico foi destilado em algoritmos (SP);

Curta-metragem: Ser ou não ser (SP);

Longa-metragem: Aos pedaços (RJ);

 Meia-metragem: Rito do Amor Selvagem (SP).

 

Videoclipe 

Plural (PR);

Armas que matam (SP);

 Origem (RN);

 Quando o coração parte mais alto (AP).

 

Drama

Longa-metragem: Selvagem (SP);

Curta-metragem: Escolhas (RJ);

Curta-metragem: Duas vezes depois de Maíra (SC);

Curta-metragem: Marco (CE).

 

Ficção 

Longa-metragem: Pureza (DF);

Curta-metragem: Eu sou o Super Homem (SP)

Curta-metragem: Corpos Vermelhos (SP);

Curta-metragem: Sintonia (MG). 

 

Documentário 

Curta-metragem: Homens Invisíveis (RJ);

Longa-metragem: as mulheres-espírito (MG)

Longa-metragem: Soldados de Borracha (RJ);

Longa-metragem: Bando (BA).

 

Suspense/Terror 

Meia-metragem: O fim da tempestade (SC);

Curta-metragem: Toda sombra parece viva (BA);

Curta-metragem: Delphine (RJ) 4;

 Curta-metragem: Bloddy Boomerang (SP).

 

MELHOR FORMATO (Competição entre todos os gêneros) 

 

Melhor longa-metragem 

 Aos Pedaços (RJ);

 Pureza (DF);

Selvagem (SP);

 New Life S.A. (DF). 

 

Melhor Meia-metragem 

Três acordes (MG);

 Bia Lessa (RJ);

Rito de amor selvagem (SP);

O que eu sou afinal? – (PE). 

 

Melhor Curta-metragem

 Um conto de Reis (GO);

 Eu sou o super homem (SP);

 Escolhas (RJ);

 Paraíso Insólito (RJ).

 

 MELHOR CATEGORIA (longa, média ou curta) 

Melhor Atriz 

Curta-metragem: Escolhas – (RJ) – Carolina Kasting;

Curta-metragem: Delphine – (RJ) – Louise Clós;

Longa-metragem: Pureza – (DF) – Dira Paes;

 Curta-metragem: Modelo Vivo, Modelo Morto – (SP) – Leona Jhovs.

 

Melhor Ator

Curta-metragem: Delphine – (RJ) – André Ramiro;

Curta-metragem: Riscados pela memória – (DF) – Antonio Pitanga;

Curta-metragem: O Embrolho – (GO) – Tonico Pereira;

Curta-metragem: Aperto – (SP) – Milton Gonçalves.

 

Melhor Direção 

Longa-metragem: Pureza – (DF) – Renato Barbieri;

Curta-metragem: A Mão do morto – (RJ) – Márcio Venturi;

 Curta-metragem: Eu sou Super Homem – (SP) – Rodrigo Batista;

Longa-metragem: Selvagem – (SP) – Diego da Costa. 

 

Melhor Direção de Fotografia 

Longa-metragem: Pureza – (DF) – Felipe Reinheimer;

Curta-metragem: Duas vezes depois de Maíra – (SC) – Alexandre Fachini;

Curta-metragem: Escolhas – (RJ) – Kennel Rógis;

Curta-metragem: Aperto – (SP) – Fábio Róger.

 

Melhor Direção de Arte

Meia-metragem: O fim da tempestade (SC) – Monique Buendgens;

Curta-metragem: Conto de Réis (GO) – Débora Correa;

Longa-metragem: New Life S.A. (DF) – Maíra Carvalho;

Longa-metragem: Pureza (DF) – Zé Luca.

 

Melhor Roteiro

Curta-metragem: Eu sou o Super-Homem  (SP) – Rodrigo Batista; 

Curta-metragem: O Véu de Amani  (DF) – Renata Diniz;

Curta-metragem: Paraíso Insólito  (RJ) – Breno A. Guimarães;

Longa-metragem: Aos Pedaços  (RJ) – Ruy Guerra/Luciana Mazzotti.

 

 Montagem 

Curta-metragem: Sangro  (SP) – Fernando Recchia/Juliana Lopes/Caio Gox;

Curta-metragem: Sintonia (MG) – Matheus Torres;

 Curta-metragem: Entre Silêncios (RS) – Gabriel Russo;

Curta-metragem: A mão do morto (RJ) – Bruno Lima.

 

 Melhor Figurino

Longa-metragem: Pureza  (DF) – Inês Salgado;

Curta-metragem: Escolhas  (RJ) – Natália Zincone;

Longa-metragem: Selvagem  (SP) – Camila Pizziolo;

Curta-metragem: Conto de Réis (GO) – Paula Mauri. 

 

Melhor trilha

Curta-metragem: Doppio (PA) – João Franklin;

Longa-metragem: Aos Pedaços (RJ) – Fracktura;.

Curta-metragem: Marco (CE) – Banda Líbanos;

 Curta-metragem: Sintonia (MG) – Rec Studio.

Notícias relacionadas

x