Colunas

Conserto veio no grito

Políticos influentes (se é que os temos) no âmbito estadual, deveriam, também, botar a boca no trombone.

04/08/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Há cerca de um mês, ao transitar pela BR-470, na região de Ibirama, o deputado Ismael dos Santos (PSD/Blumenau), teve dois pneus furados e duas rodas quebradas por conta da buraqueira infernal naquele trecho da rodovia.

Com o carro guinchado, botou a boca no trombone e, dia seguinte, a empreiteira contratada pelo DNIT para fazer a manutenção e que não o faz regularmente, tapou os buracos. Talvez esteja aí a solução para os buracos da SC-108, entre Guaramirim e Massaranduba. Políticos influentes (se é que os temos) no âmbito estadual, deveriam, também, botar a boca no trombone. Claro que não é preciso quebrar seus carros.

PSD faz prévias

O PSD catarinense também optou por eleições prévias entre seus filiados para indicar o candidato a governador em 2022. Mas isso, se mantido, só ocorrerá no ano que vem. Em que mês ainda não está definido. No partido, são pré-candidatos o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, e o ex-governador Raimundo Colombo.

Terceiro nome

Uma terceira via poderá surgir se o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM) se filiar ao PSD. Ou, então, se os pessedistas se unirem a ele. Pelo DEM, com apenas seis prefeitos, Loureiro não disputa.

Aliás, hoje (4) ele passa pela 29ª cirurgia depois de grave acidente de carro que sofreu em 2013, quando era presidente da Fatma no governo de Raimundo Colombo.

Esperando orçamento

Senador Jorginho Mello (PL) espera apenas sinal verde orçamentário para assumir o Ministério do Turismo, a convite do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Na cota do “centrão” conforme acordo com o presidente.

Candidatíssimo a governador e com apoio pessoal de Bolsonaro, Mello ganhará espaço precioso em sua campanha à sucessão de Carlos Moisés (sem partido). Sua suplente é Ivete Appel da Silveira (MDB), viúva do ex-senador Luiz Henrique da Silveira (MDB). Mas, nem por isso o MDB se aproximar dele.

Riscos ao meio ambiente

A extração de petróleo e gás natural na Bacia de Pelotas (RS), com impactos diretos ainda desconhecidos em 29 municípios litorâneos de Santa Catarina podem provocar danos ambientais irreparáveis para o turismo e a pesca artesanal de tainhas.

A denúncia é da deputada estadual Ana Paula da Silva. A Coordenadora da Frente Parlamentar Ambientalista de Santa Catarina acrescenta que o governo federal pretende licitar a concessão dia 7 de outubro.

O novo PTB

“O PTB não será mais apenas um simples vagão e sim uma locomotiva pronta para defender a vida e as nossas famílias. Não seremos mais um puxadinho de partido nenhum”.

O discurso é do deputado estadual Kennedy Nunes (ex-PSD/Joinville), agora presidente do diretório estadual do seu novo partido. Kennedy é bolsonarista de carteirinha e, entre outras coisas, defende a população armada. De fato, em um ponto ele tem razão: o PTB catarinense foi sempre uma sigla de aluguel, como tantas outras.

Candidatos. E daí?

Fosse a Justiça Eleitoral punir quem faz propaganda antecipada a cargos eletivos em 2022, não sobraria nenhum dos candidatos que andam pelo Estado disparando discursos de campanha. Parte da imprensa, para evitar problemas futuros, ainda os rotula como pré-candidatos. Porém, quando indagados, não se fazem de rogados. Mas, num país onde acabou o respeito pelos poderes constituídos e pela legislação vigente, nada de novo no front.

 

 

Notícias relacionadas

x