Geral

Cooperativa de Massaranduba está iniciando a operação do abatedouro de tilápias

O abatedouro deve atingir em até três anos 20 toneladas dia de processamento de tilápia

11/01/2022

Por

Cooperativa de Massaranduba está iniciando a operação do abatedouro de tilápias

Divulgação

A Cooperativa Juriti inicia esta semana a operação do abatedouro de tilápia que já recebeu todas as licenças. A Cooperativa está fazendo investimentos elevados na construção do abatedouro de peixes e na segunda unidade de recepção e secagem de grãos, às margens da SC-108, na Área Industrial Zeferino Kuklinski, em Massaranduba.

As duas obras simultâneas que integram o plano de crescimento na área do arroz e o novo negócio, o abatedouro de tilápia, tem um investimento em torno de R$ 40 milhões. A segunda central de recepção do arroz que inicia neste mês, terá capacidade de receber e secar até 350 mil sacas de arroz, das quais 200 mil sacas secas permanecerão nos silos construídos no local e 150 mil serão encaminhadas para os silos anexos à sede administrativa e engenho, no Patrimônio.

Já o abatedouro está com as obras e instalações finalizadas, com área em torno de 1.000m², mais a lagoa de decantação. O SIF – Serviço de Inspeção Federal aprovou o projeto do abatedouro, nova atividade econômica da Cooperativa Juriti que tem foco na produção, industrialização e comercialização do pescado, aproveitando o mercado onde já atua com a venda do arroz, mas também novas frentes de comercialização serão abertas.

A segunda central de descarga é para reduzir o acúmulo de caminhões no pico da safra do arroz junto à unidade matriz. O local fará a secagem do arroz, mas será utilizado, também, para secagem de milho.

De acordo com o presidente da Cooperativa, Orlando Giovanella, o início da operação do abatedouro é um marco para a Cooperativa, que investe no meio da crise econômica e sanitária porque acredita no agronegócio, que tem sustentado o Brasil.

Comercialmente, acredita em bons resultados de vendas.

“Está tudo encaminhado para o início da comercialização”, disse.

Meta é processar até cinco toneladas dia do pescado

O abatedouro deve atingir em até três anos 20 toneladas dia de processamento de tilápia. A matéria prima virá no início de sócios e não sócios da Cooperativa, mas o objetivo é de que todos os fornecedores sejam associados.

“Esse é um negócio novo, que tem mercado. Faz parte do planejamento estratégico da Juriti”, conta Orlando.

Para ele, ganha Massaranduba com uma nova unidade de negócio que gera emprego, renda e impostos e ganha também os produtores, que terão mais uma alternativa de ganhar dinheiro com a tilápia, aproveitando áreas ociosas na propriedade. Todas as operações de compra e venda serão cem por cento registradas com notas fiscais.

Segundo o plano de negócio, que faz parte do planejamento estratégico da Cooperativa Juriti, a ideia é iniciar com cinco toneladas/dia de peixe bruto e a partir do terceiro ano, 20 toneladas processadas ao dia. Nos dois primeiros anos do abatedouro de peixes, a Cooperativa comprará a tilápia de sócios e não sócios, mas a partir do terceiro ano, será exclusivamente de associados.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp! 

Notícias relacionadas

x