Corupá

Corupá recorda os 50 anos de falecimento do padre Vicente Schmitz

Além de grande colaborador e incentivador das vocações sacerdotais e religiosas, também foi professor de religião e de francês para os seminaristas

15/05/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

Corupá recorda os 50 anos de falecimento do padre Vicente Schmitz

Neste sábado, 15 de maio, recordam-se os 50 anos de falecimento do primeiro pároco da Paróquia São José, de Corupá, Padre Vicente Schmitz, SCJ. Ao todo, por 26 anos desempenhou esta função religiosa.

Leia mais

Seu nome civil era Wilhelm Schmitz. Nasceu no dia 2 de maio de 1887, na localidade de Steinebrück, em Winterspelt, na Renânia-Palatinado, Alemanha. Cursou os estudos primários no Seminário Menor de Clairefontaine, na Bélgica. Em 1909, ingressou no Seminário de Sittard, na Holanda. Ligou-se definitivamente a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos), por meio dos votos perpétuos, no dia 25 de setembro de 1910. Acolheu o nome religioso que usaria para sempre: Vicente. Na cidade de Luxemburgo (capital daquele país), cursou teologia e foi ordenado sacerdote, no dia 21 de março de 1915.

Em 3 dezembro de 1919, Padre Vicente Schmitz chegava no Brasil. Foi nomeado vigário paroquial da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Joinville. De 1920 a 1925, foi vigário paroquial da Paróquia Santa Emília (mais tarde São Sebastião) no ainda Distrito de Jaraguá. Em março de 1925, seguiu para Rio Fortuna.

Na data de 19 de março de 1928, Padre Vicente Schmitz assumiu os cuidados pastorais da então Capela São José, de Hansa Humboldt (mais tarde denominada como Corupá), a qual tornou-se “Curato”. No ano de 1929 fundou a “Escola Paroquial São José”. Em 14 de janeiro de 1935, o então Bispo Diocesano de Joinville, Dom Pio de Freitas Silveira, criou definitivamente a Paróquia São José, nomeando Padre Vicente Schmitz como primeiro pároco.

Além de grande colaborador e incentivador das vocações sacerdotais e religiosas, também foi professor de religião e de francês para os seminaristas da então “Escola Apostólica Sagrado Coração de Jesus” (Seminário), de Corupá.

Em 1938, foi transferido para a Paróquia São Luís Gonzaga, de Brusque. Também lá realizou grandes obras, dentre as quais a renovação total da parte frontal da antiga Matriz (substituída, anos depois, pela Matriz atual), bem como esteve à frente da construção de cinco capelas.

Mas, em março de 1949, Padre Vicente retornou à Paróquia São José, de Corupá. Naquele período, empreendeu a edificação da nova e atual Igreja Matriz São José, cuja pedra fundamental foi lançada no dia 4 de maio de 1952. Igualmente, liderou a construção de nove capelas.

Em vésperas de completar 50 anos de sacerdócio, em 1965, tomou a decisão de retornar à Alemanha, sua terra natal. Assim, no dia 21 de março de 1965, em Corupá, celebrou, solenemente, o seu jubileu sacerdotal e, em abril daquele mesmo ano, retornou definitivamente à Alemanha, vivendo os últimos anos de sua vida no Convento de Maria Martental, em Leienkaul, na Renânia-Palatinado. Faleceu no dia 15 de maio de 1971.

Em Corupá, a rua na qual se localiza a Igreja Matriz São José, recebeu o seu nome. Também em Brusque, no Bairro Dom Joaquim, uma rua leva o seu nome.

O atual pároco da Paróquia São José, Padre João Sebastião Boeing, SCJ, referindo-se ao Padre Vicente, afirma: “Pessoa íntegra, de bom caráter, deixou suas impressões no zelo apostólico com os enfermos, catequese, educação, celebrações, atendimentos, construções, acolhimento, vida fraterna, entre outros valores que permeavam sua vida. Hoje o que temos é graças ao esforço e a dedicação dos nossos antepassados e em especial do Padre Vicente Schmitz”.

No sábado, às 19h, na Igreja Matriz São José, será celebrada a Santa Missa por Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ, Arcebispo Emérito de São Salvador da Bahia, recordando a data.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

 

Notícias relacionadas

x