Cultura

Do Salão Gumz à Sociedade Alvorada – 73 anos de tradição germânica

Em 8 de janeiro de 1949, a comunidade teuto brasileira, remanescentes da colonização alemã e pomerana iniciaram uma entidade associativista de lazer social e cultural

11/01/2022

Por

Do Salão Gumz à Sociedade Alvorada – 73 anos de tradição germânica

Divulgação/Ademir Pfiffer

Em 8 de janeiro de 1949, a comunidade teuto brasileira, remanescentes da colonização alemã e pomerana iniciaram uma entidade associativista de lazer social e cultural, com a finalidade de salvaguardar o patrimônio do tiro ao alvo, herança dos imigrantes europeus.

Ao longo da primeira metade do século XX, em Rio Cerro, diversas iniciativas das tradições germânicas foram organizadas, como a criação da Sociedade de Atiradores Gemütlichkeit, Sociedade Dr. Lauro Müller, Sociedade de Tiro ao Alvo Teuto Brasileira (1916), Sociedade Atiradores Rio Cerro I – Salão August Radünz (1935), Salão Ristow, Salão Röder (Roeder), Salão Gumz, cuja atual entidade é herdeira das tradições.

Assim, a entidade Alvorada promove o patrimônio cultural, durante 73 anos, atravessando a conjuntura global da pandemia Covid 19, com ações de governança criativas, para fortalecer os laços institucionais e de união com sócios, comunidade e simpatizantes.

No sábado, 8 de janeiro, depois de 18 meses de atividades interruptas de eventos presenciais, a Sociedade Alvorada, por meio de protocolos sanitários, recomendados pelos órgãos governamentais, reuniu os sócios e simpatizantes, para celebrar os 73 anos de fundação a festa rei dos reis e rainha das rainhas, salvaguardando o patrimônio do schützenverein e das festas de reis (königsfest).

A corte das majestades era composta por: Marcelo Heinz Prochnow, rei; Ademir Mathias, 1º cavalheiro e Mauri Mathias, 2º cavalheiro. Alessandra M. König, rainha; Rosângela Klein Falgatter, 1ª princesa e Ivone Mathias B. Mathias, 2ª princesa.

A Adler’s Band, conjunto rural do Rio da Luz abrilhantou o evento, sendo o roteiro integrado pela homenagem às majestades do tiro ao alvo, ritualística folclórica de busca das majestades (sob comando de Elzira Hass e Romeo Nitzke), jantar festivo (equipe de Luce Siewerdt Marcelino, Rio Cerro II), baile social e proclamação das novas majestades para o ano de 2023. (Com a colaboração de Ademir Pfiffer – historiador).

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x