Sem categoria

Em Jaraguá do Sul, 70% dos pacientes confirmados com coronavírus não tinham doenças crônicas

A análise epidemiológica separa os casos positivos por faixa etária, por sexo, por comorbidade e por necessidade de internação

26/05/2020

Por

Em Jaraguá do Sul, 70% dos pacientes confirmados com coronavírus não tinham doenças crônicas

A Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul divulgou hoje o quarto perfil epidemiológico sobre os 84 casos positivos de Covid-19 para o período de 1° de janeiro a 25 de maio.

A análise epidemiológica separa os casos positivos por faixa etária, por sexo, por comorbidade e por necessidade de internação. Dos 93 casos positivos para a covid-19, 37 são masculinos (44%) e 47 femininos (56%).

A faixa etária com maior número de contaminados envolve pessoas de 30 a 39 anos, com 29 casos (35%); seguida de 50 a 59 anos, com 12 (14%); e 20 a 29 anos e 40 a 49 anos, respectivamente com 11 casos (13%) cada; 70 a 79 anos, com oito (10%); 60 a 69 anos, com sete (8%); 80 a 89 anos, com três (4%); zero a 9 anos, com dois (2%) e 10 a 19 anos, com um (1%). 

Leia mais:

Os que apresentavam comorbidade, isto é, possuíam algum outro problema de saúde, como hipertensão, diabetes, obesidade ou outras condições, totalizam 25 pacientes, caracterizando um percentual de 30%

O balanço revela ainda que 70% das pessoas infectadas (59) não possuíam nenhuma doença crônica. 

Dos 84 positivados, 15 (18%) necessitaram de internação.

“Da totalidade dos confirmados até a última segunda-feira (25), 29 estavam em isolamento domiciliar, 52 pessoas se recuperaram, apenas uma permanecia hospitalizada e houve dois óbitos”, calcula o diretor de Vigilância em Saúde, Dalton Fernando Fischer.

O primeiro perfil epidemiológico saiu em 28 de abril, quando a cidade contava 20 casos positivos.

Pouco depois de uma semana, em 7 de maio, com 33 casos confirmados, outro perfil foi divulgado e, em 15 de maio, com 58 casos positivamos, houve a terceira divulgação desta natureza.

Cada perfil é aprimorado e passa a fazer parte de um banco de informações importantes para a política de prevenção e controle da  doença.

De acordo com o supervisor de Vigilância Epidemiológica, Geovani Carvalho Lombardi, “ a falta de informações históricas da doença e de uma vacina eficaz contra o vírus reforçam a necessidade de seguir as orientações das autoridades da saúde. Para esta doença, o melhor remédio é a prevenção”, pondera.

Constam entre as orientações, o isolamento e distanciamento social, uso de máscaras, lavação frequente das mãos com água e sabão, além do uso do álcool gel 70%.

Segundo o secretário de Saúde, Alceu Moretti, observa-se, em Jaraguá do Sul, que a maioria das pessoas infectadas são economicamente ativas, por isso recomenda a ampliação dos cuidados necessários para evitar a disseminação da doença.

“Estamos testando mais e sabendo da real situação do município, mas precisamos tomar os devidos cuidados para manter a cidade numa situação de normalidade”, esclarece.
Medidas de prevenção evitarão o colapso no sistema de saúde e mortes por causa da infecção.

Desta forma, a curva da doença não se elevará tão abruptamente, permitindo atendimento adequado a todos os que adoecerem por causa do vírus, que tem facilidade de propagação e pode levar à morte. 

O coronavírus (COVID-19) é uma doença infecciosa causada por um novo vírus. Ele causa problemas respiratórios semelhantes à gripe e sintomas como tosse, febre e, em casos mais graves, dificuldade para respirar.

A principal forma de contágio se dá pelo contato com uma pessoa infectada, que transmite o vírus por meio de tosse e espirros.

Ele também se propaga quando a pessoa toca em uma superfície ou objeto contaminado e depois nos olhos, nariz ou boca.

 

Notícias relacionadas

x