Geral

Famílias fundadoras da Capela Santo Estevão foram homenageadas

A homenagem aos descendentes dos fundadores da nova igreja, cuja pedra fundamental foi lançada em setembro de 1922, foi um documento que registra a participação dos antepassados no início da obra

19/07/2022

Por

Famílias fundadoras da Capela Santo Estevão foram homenageadas

F.J.Brugnago

Um dos momentos fortes da celebração do centenário do início da Capela Santo Estevão, cuja data da pedra fundamental está datada em documento em 3 de setembro de 1922, foi a homenagem às famílias fundadoras, relação encontrada há poucos anos em uma das colunas do templo, certificando os fundadores da nova igreja. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, preparou as homenagens e a programação cultural do evento, para o qual era aguardada a presença da cônsul geral Zsuzsanna Lászlo, que por problema de conexão do voo de São Paulo para Santa Catarina, não conseguiu participar.

(Foto: F.J.Brugnago)

Ela foi representada pelo cônsul honorário da Hungria, Amauri Steinmacher. A entrega das menções honrosas para os representantes das famílias fundadoras – inclusive descendentes diretos de imigrantes magiares a Jaraguá do Sul – foi precedida pela entrada das bandeiras do Brasil, da Hungria, de Santa Catarina e de Jaraguá por dançarinos do Grupo Folclórico Dunántúl.

O Coral do Programa Técnico Cultural da Secel, regido pela professora Betina Hardt, cantou o Hino Nacional e o Hino de Jaraguá do Sul. A interpretação do Hino da Hungria coube aos alunos do idioma húngaro da Associação Húngara de Jaraguá do Sul.

(Foto: F.J.Brugnago)

Um vídeo foi produzido pela Secretaria de Cultura, com texto e áudio do professor Sidnei Lopes, contando um pouco da saga da imigração húngara a Jaraguá do Sul, partir de 1891. O vídeo está disponibilizado no YouTube da Prefeitura para acesso. É muito rico no contexto histórico e a sua apresentação emocionou os presentes à sessão solene no salão da Comunidade Santo Estevão, porque se identificaram com ele. Um dos momentos marcantes precedente as homenagens foi a interpretação da canção Ave Maria, por Lara Dalmônico, acompanhada pelo pianista Pedro. Foi um registro para os pioneiros e para as gerações que seguem mantendo o patrimônio da mais antiga igreja edificada em Jaraguá do Sul.

Documento encontrado em coluna da igreja relaciona os fundadores

A homenagem aos descendentes dos fundadores da nova igreja, cuja pedra fundamental foi lançada em setembro de 1922, foi um documento que registra a participação dos antepassados no início da obra. A lista das famílias fundadoras estavam em um invólucro em uma coluna encontrada faz poucos anos e uma bênção em latim assinada pelos padres da época.

A capela foi construída por muitas mãos e grandes sacrifícios, por meio de doações, trabalhos voluntários e festividades para arrecadação. A solidariedade, o respeito e a ajuda mútua, conceitos básicos do cristianismo, eram vivenciados – e continuam sendo – no dia a dia da comunidade húngara do Garibaldi, honrando a memória dos pioneiros.

(Foto: F.J.Brugnago)

A construção da capela foi finalizada em 1937, quinze anos após o lançamento da pedra fundamental. Ao longo das décadas passou por reformas e manutenção do patrimônio. É dedicada a Santo Estêvão I, rei cristão coroado em dezembro do ano 1000 d.C.

A imagem de Santo Estevão, com trajes nas cores da Hungria, está em local de destaque do maior altar da capela, dos três existentes, ainda originais, dividindo a honra com outros santos da igreja.

O ato solene de sábado foi concluído com palavras de representante da Comunidade, do Cônsul Honorário, da secretária Natália Petry e do prefeito Jair Franzner. A Comunidade preparou uma missa, café, apresentação do Grupo Dunántúl e baile com a Banda GBD.

(Foto: F.J.Brugnago)

Os diversos atos havidos no sábado, 16 de julho, entraram para a história.

Lançada a pedra fundamental da Praça Húngara, no Garibaldi

Foi uma tarde peculiar, carregada de história, de lembranças e de emoções. O centenário do início da construção da mais antiga igreja edificada de Jaraguá do Sul, a Santo Estevão, que é um legado do imigrante húngaro e patrimônio cultural da cidade, foi marcado por vários momentos. Localizado no Jaraguá Alto, conhecido como Garibaldi, o primeiro ato foi o descerramento pelo prefeito Jair Franzner, secretária de Cultura Natália Petry, membros da Comunidade, da Associação Húngara, secretários municipais e representante do consulado da Hungria, da pedra fundamental da Praça Húngara, ao lado do estacionamento da igreja.

(Foto: F.J.Brugnago)

O pedido para a construção foi de representantes da Comunidade à Prefeitura, para marcar o momento histórico do centenário do templo e aos imigrantes húngaros que vieram do condado de Veszprém diretamente para o Alto Garibaldi, ou Jaraguá Alto, a partir de 1891, sendo o único grupo étnico imigrante de Jaraguá do Sul. Eram cerca de 800 pessoas.

A Praça Húngara está em fase de projeto, mas o imóvel onde será construído já está legalizado em nome do Município e pode sofrer interferência pública para a execução das obras tão logo o projeto esteja finalizado e os recursos viabilizados. É um belo espaço que vai ajudar a referenciar ainda mais a região, fazendo contraste com a Capela Santo Estevão, que é belíssima tanto externa quanto internamente.

Para o prefeito Jair Franzner, por toda a contribuição dada pela comunidade húngara a Jaraguá do Sul, é muito justo deixar um legado e uma praça vai perpetuar esse agradecimento.

“É um marco histórico e um compromisso da Prefeitura a construção da Praça Húngara. Queremos retornar em breve a este local para a inauguração”, completou.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x