Cultura

Feira do Livro abre oficialmente nesta quinta-feira (8)

O galpão da leitura, na Scar, está pronto para receber milhares de livros, muitos deles com preços a partir de R$ 5,00. O evento segue até o dia 18, conta com entrada e estacionamento gratuitos, show, espetáculos e debates, literatura, dança, teatro, música, e muita  literatura. A programação ocorre das 9 às 21 horas, de segunda a sexta-feira; das 9 às 19 horas, aos sábados; e das 10 às 18 horas, aos domingos. Entre os convidados constam Martha Medeiros, Rodrigo Garcia Lopes, Paulo Lins e outros. A Feira do Livro é uma realização da Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio das Secretarias de Educação e de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). A programação completa está disponível em www.feiradolivro.art.br.

06/08/2019

Por

Feira do Livro abre oficialmente nesta quinta-feira (8)
A 13ª edição da Feira do Livro de Jaraguá do Sul inicia oficialmente nesta quinta-feira (8). O galpão da leitura, na Scar, está pronto para receber milhares de livros, muitos deles com preços a partir de R$ 5,00. O evento segue até o dia 18, conta com entrada e estacionamento gratuitos, show, espetáculos e debates, literatura, dança, teatro, música, e muita  literatura. A programação ocorre das 9 às 21 horas, de segunda a sexta-feira; das 9 às 19 horas, aos sábados; e das 10 às 18 horas, aos domingos. Entre os convidados constam Martha Medeiros, Rodrigo Garcia Lopes, Paulo Lins e outros. A Feira do Livro é uma realização da Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio das Secretarias de Educação e de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). A programação completa está disponível em www.feiradolivro.art.br.
 
Programação
Quinta-feira (8) – Liberdade crônica, com Martha Medeiros, às 19h30, no Grande Teatro
 
Com mais de um milhão de livros vendidos, Martha Medeiros é uma das cronistas mais populares do país. São 25 anos de carreira e mais de dois mil textos publicados em livros e jornais de todo o país. Nesse encontro, a convidada debaterá sobre sua carreira e seu mais recente livro, “O meu melhor”, que inclui crônicas sobre diversas experiências: relacionamentos, maternidade, a falta de sensibilidade contemporânea, morte e ?nitude.
 
Sexta-feira (9) – Espetáculo: Joker, da Delírio Cia de Teatro (Curitiba/PR), às 19h30, no Pequeno Teatro
 
O manicômio Asylum Arkham (das histórias em quadrinhos do Batman) convida você para visitar seu mais célebre detento, o maior vilão das histórias em quadrinhos: Joker, o Coringa. Sedutor em sua maneira excêntrica e caótica de ver o mundo, ele é manipulador e provocativo. Mesmo tranca?ado e sofrendo de ataques psicóticos, consegue invadir sua mente e bagunçar seus pensamentos.
 
Terça-feira (13) – Palestra: Paulo Leminski: 75 anos, com Rodrigo Garcia Lopes, às 19h30, no Pequeno Teatro
 
Trata-se de passeio pela vida e obra de um dos poetas mais irreverentes da literatura brasileira: Paulo Leminski (1944-1989), que completaria 75 anos neste agosto de 2019. Rodrigo Garcia Lopes é autor de “Roteiro Literário — Paulo Leminski”, ensaio que analisa a trajetória pessoal e artística de Paulo Leminski, curitibano que se dedicou, entre outras atividades culturais, à tradução, prosa literária, ensaio, canção popular e, sobretudo, à poesia. Rodrigo Garcia Lopes é doutor em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e traduziu textos de Rimbaud, Marcial, Sylvia Plath e Walt Whitman. É autor, entre outros títulos, do romance O trovador (2014) e do livro de poemas Experiências extraordinárias (2015).
 
Quarta-feira (14) – Show: Canções do Estúdio Realidade, com Rodrigo Garcia Lopes e Neno Moura, às 19h30, no Grande Teatro
 
Nome de destaque da poesia brasileira contemporânea (saudado por Paulo Leminski como “um dos mais notáveis poetas paranaenses”), Rodrigo Garcia Lopes teve seu segundo disco (2013) apresentado por Arrigo Barnabé e recepção calorosa de músicos como Vitor Ramil, Marina Lima, Kleiton Ramil, Luiz Tatit e Chico César. Seguindo uma tradição de artistas brasileiros que se especializaram na arte de combinar palavras, música e voz, este projeto leva adiante uma so?sticada pesquisa musical. Para Garcia Lopes, o desa?o está em fundir, em suas composições, a linguagem da música e a música da linguagem. As canções de Garcia Lopes, ora hipnóticas, ora cinematográ?cas e “jazzísticas”, buscam e encontram novas formas de realizar a simbiose entre melodia, harmonia e texto. O título é uma citação ao bordão “Assaltem o Estúdio Realidade e retomem o universo”, de William S. Burroughs, artista que Garcia Lopes entrevistou em 1992. Rodrigo é acompanhado por Neno Moura na bateria, que fez parte do grupo Gente da Terra, com quatro CDs e um DVD gravados, e foi percussionista e baterista na banda Tijuquera.
 
Quinta-feira (15) – Início do 28º Concurso de Declamação, às 8h30, 13h e 19h30, no  Pequeno Teatro
 
Painel: Intolerância em tempos de internet, com Cícero Dittrich, Darwinn Harnack e Marco Antônio Murara, às 19h30, no Grande Teatro
A internet é uma janela para o mundo. Mas estamos preparados para lidar com as idiossincrasias e velocidade da contemporaneidade? Professores universitários discutem a intolerância e a disseminação de notícias falsas em tempos de pós-verdade.
 
Sexta-feira (16) – Bate-papo: O livro, o ?lme e o samba, com aulo Lins (Rio de Janeiro/RJ), às 19h30, no   Grande Teatro
 
Uma bate-papo informal com um dos grandes personagens da literatura brasileira contemporânea. Criado na favela carioca Cidade de Deus, Paulo Lins estabeleceu ainda na juventude um profundo contato com a música, sobretudo com o samba. Seu livro “Cidade de Deus”, publicado em 1997, foi transposto para o cinema por Fernando Meirelles e Kátia Lund, e indicado ao Globo de Ouro e Oscar. Em seu romance “Desde que o Samba é Samba”, de 2012, Lins traça um panorama sobre a origem do samba entre os anos 1928 e 1931 e o surgimento da primeira escola de samba brasileira, a Deixa Falar. Um encontro histórico da literatura com a música e o cinema.
 
Domingo (18) – Espetáculo: O barquinho amarelo, da Eranos Círculo de Arte, às 14 horas, no Grande Teatro
 
O Espetáculo O Barquinho Amarelo conta com dramaturgia original, inspirada no livro homônimo de Iêda Dias da Silva, referência na alfabetização de crianças em escolas públicas no Brasil, nas décadas de 70 e 80. Utilizando recursos audiovisuais, o espetáculo faz uma ponte entre gerações, traz ao público brincadeiras, imagens e sonoridades da infância no interior, atravessada por aquilo que é original em todas as crianças de todas as épocas e de todos os lugares: o universo imaginativo!
 
Show de encerramento: “Pai: Aço Musical”, com Marco Antônio Jaguarito e banda, às 17 horas, no  Grande Teatro
 
Uma vivência musical para toda a família. Jaguarito e sua banda brincam com a inquietude musical e trazem neste show uma interatividade entre grandes e pequenas crianças que entendem a música como um elo entre o lúdico e o mundo. No palco, serão vistos e ouvidos diversos instrumentos musicais diferenciados (tanto usados pela cultura popular, quanto confeccionados pelo artista com material reaproveitado), além de versões personalizadas do cancioneiro popular, em suas diversas vertentes. O show também é recheado de canções autorais, como “Gafa: O Gafanhoto”, “Fruta Que Te Faz Cantar”, “De Volta à Infância” entre outras.
 

Notícias relacionadas

x