Sem categoria

Femusc bate marca de cinco mil alunos e 500 mil espectadores em 15 edições

Conforme o diretor-artístico do evento, Alex Klein, em cada edição do Femusc, o propósito é superar os desafios impostos pela experiência anterior

03/02/2020

Por

Femusc bate marca de cinco mil alunos e 500 mil espectadores em 15 edições

Foram 14 dias não só de música, mas de dedicação, de momentos emocionantes, de diversão e sorrisos, de construção e de realização de sonhos. E a 15ª edição do Femusc (Festival de Música de Santa Catarina) terminou, no último sábado, colocando tudo isso no palco do Grande Teatro do Centro Cultural Scar em um concerto de encerramento que teve, além da despedida, também homenagens e muitos aplausos.

No discurso de encerramento, o prefeito Antídio Lunelli ressaltou a importância do evento e homenageou pessoas que ajudaram a construir essa história como o doutor Fernando Springmann, que foi um dos fundadores da Scar e primeiro presidente da entidade. “Não estaríamos aqui vendo todos esses espetáculos se não fosse por pessoas como ele. Pessoas como o maestro Ricardo Feldens, maestro da Scar, responsável pela apresentação inaugural da orquestra da cidade há 30 anos. O Femusc é um evento que enche de orgulho até o jaraguaense que nem sabia, há 15 anos, que gostava de música clássica”, disse. 

Conforme o diretor-artístico do evento, Alex Klein, em cada edição do Femusc, o propósito é superar os desafios impostos pela experiência anterior. “Em 14 anos (15 edições), é claro que muita coisa já foi superada. Neste, viemos com o desafio da ópera La Traviata, que foi produzida em três semanas com um grande sucesso, assim como os quartetos de cordas, que tiveram uma imersão ainda mais profunda nesta arte”, pontua.
 
Outro destaque, segundo Klein, foi a inserção do Programa de Música Popular. “Essa novidade foi muito bem recebida pelo público, não só porque a MPB tem um apelo especial, mas, porque a qualidade desses professores e a habilidade de atrair grandes talentos jovens ficaram evidentes”, enfatiza.
 
Já em organização, o 16º Femusc deve trazer um Programa Música Popular ainda mais estabelecido e relevante dentro da programação. Outra novidade, de acordo com Klein, tem como inspiração o sucesso da encenação da Cantata do Café, de Johann Sebastian Bach. “Para 2021, acertamos que vamos apresentar a Paixão Segundo São Mateus. Essa obra é, provavelmente, a mais magnífica de um dos mais magníficos compositores. Então, ela vai nos levar o ano inteiro para cuidadosamente montar o que será uma apresentação visual”, adianta.
 
Paralelamente à programação, também já são esboçados outros detalhes da organização do próximo Femusc. A expectativa é concluir o lançamento de um livro a respeito do maior festival-escola de música da América Latina, que, em 15 edições, recebeu mais de cinco mil alunos e mobilizou cerca de 500 mil espectadores.

“As pessoas sentem que pertencem a este festival, pois ele é feito de pessoas e é isso o que o fará permanecer por mais 15, 20, 30 anos”, destaca Ary Pradi, presidente do Instituto Femusc. Com o objetivo de fortalecer ainda mais a história do evento, ele também está retratado no Projeto Memória Scar, que conta com uma série de documentários abordando a trajetória da entidade.
 
A data de início do próximo Femusc deve ser divulgada em breve. Mas, já se sabe que as inscrições para a edição de 2021 serão abertas no início de julho. Até janeiro, quando retornam os concertos e aulas, público e alunos podem aproveitar para assistir a todos os vídeos oficiais das apresentações já realizadas. Elas estão disponíveis no www.youtube.com/institutofemusc

Informações e imagens: Femusc

Notícias relacionadas

x