Cultura

Mais de 16 mil ingressos serão disponibilizados ao público para Femusc na Scar

O Femusc é considerado o maior festival-escola não competitivo do País e atrai músicos amadores e profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior

06/01/2022

Por

Mais de 16 mil ingressos serão disponibilizados ao público para Femusc na Scar

César Castro/We Art/Arquivo

Mais de 16 mil pessoas assistirão ao vivo as apresentações do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc) no Teatro da Scar, mas a organização prevê que 150 mil espectadores assistam as transmissões pelo canal do YouTube e redes sociais do Festival os grandes concertos diários, às 20h30. O Femusc volta a ser presencial, mas reduzido devido às questões sanitárias em função do coronavírus.

O evento acontece em Jaraguá do Sul, de 16 a 29 de janeiro. Serão disponibilizados 16.410 ingressos gratuitos, que devem ser reservados com pelo menos 48 horas de antecedência e retirados na bilheteria do Centro Cultural Scar. Haverá também apresentações em espaços públicos como as praças da cidade.

“Nossa previsão é de que tenhamos cerca de 20 mil pessoas no formato presencial e mais 130 mil espectadores online”, afirmou o diretor-executivo do evento, Fenísio Pires Junior.

O Festival, que em 2021 pela primeira vez foi totalmente virtual, recebia antes da pandemia mais de 100 mil pessoas, entre músicos e visitantes.

Do total de músicos do Festival, entre professores e participantes, cerca de 80% são brasileiros, seguidos por profissionais dos Estados Unidos, Canadá, França, Costa Rica, Inglaterra, Espanha e Argentina. Assim como em edições anteriores, são aguardados visitantes da Argentina, Bolívia, Bulgária, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Honduras, Paraguai, Peru e Venezuela.

Grandes nomes da MPB e internacionais virão a Jaraguá

A finalidade do Femusc é promover uma experiência musical que capacite, integre artistas e valorize a cultura brasileira.

“Nossa programação é extensa e é fundamental que os músicos, principalmente os estrangeiros, vivam nossa brasilidade. O Festival, que este ano comemora o bicentenário da Independência e a Semana da Arte Moderna de 1922, vai muito além das apresentações.  Ele reforça nosso orgulho de ser quem realmente somos”, diz o maestro Alex Klein, um dos principais oboístas da atualidade, ganhador do Grammy na música erudita.

O Femusc é considerado o maior festival-escola não competitivo do País e atrai músicos amadores e profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior.

Durante duas semanas, os participantes aprendem e trocam experiências com músicos e professores de renomadas orquestras e instituições de educação musical do mundo. Entre os destaques já confirmados para esta edição estão Jane Duboc, uma das grandes vozes da MPB, Marc Destrubé, do violino barroco, a cravista Béatrice Martin, que tocou na abertura da nova Filarmonie de Paris, e Fernando Cordella, um dos principais cravistas de sua geração na América Latina. Ao final, profissionais e estudantes se apresentam juntos em espetáculos de alto nível artístico.

Jane Duboc (Foto: Murilo Alvesso/O Liberal)

Mais de 60 apresentações gratuitas em duas semanas

O Femusc 2022 vai ampliar o alcance e tem expectativa de formar mais de cinco mil profissionais. De acordo com Alex Klein, os músicos devem ser capacitados até o final do ano por meio de cursos online que serão lançados em março. “A ideia é estimular que mais jovens tenham acesso a música erudita nos quatro cantos do Brasil”, explica. As inscrições para as próximas turmas serão anunciadas no site do Festival.

O Festival terá 61 apresentações abertas ao público no Grande Teatro da Scar e em espaços públicos como supermercados, igrejas e praças. Para garantir a segurança, o evento mantém os protocolos de segurança sanitária, com uso obrigatório de máscaras, distanciamento social e disponibilização de álcool em gel.

Além disso lotação máxima de até 80% da capacidade das salas de concerto (desde que não exceda 500 pessoas), verificação de temperatura, cartazes de explicação para a correta higienização das mãos, além de um plano de contingência para casos suspeitos.

Entre os dias 16 e 29 de janeiro, as transmissões ao vivo das apresentações podem ser acompanhadas pelo YouTube https://www.youtube.com/user/institutofemusc. O site é https://www.femusc.com.br/.

Datas históricas do Brasil serão lembradas durante o Festival

A Semana de Arte Moderna e o bicentenário da Independência serão os destaques da 17ª edição do Femusc. O evento, que retorna ao formato presencial, mas com respeito às normas sanitárias de combate à Covid-19, terá 46 apresentações abertas ao público na Scar. As principais apresentações serão transmitidas ao vivo, em alta definição, pelo canal do YouTube do Festival: https://www.youtube.com/user/institutofemusc.

A programação do Femusc 2022, focada nas datas históricas brasileiras, contará com apresentações, por exemplo, do Hino da Independência do Brasil com canto acompanhado apenas pelo cravo como instrumento musical, em referência às apresentações do século 17. Já em relação à Semana de Arte Moderna, o evento vai homenagear personagens da música brasileira como Pixinguinha, Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, que se destacaram na época com a aproximação da proposta do Modernismo brasileiro.

“Nossa programação é extensa e é fundamental que os músicos, principalmente os estrangeiros, vivam nossa brasilidade. O Festival vai muito além das apresentações. Ele reforça nosso orgulho de ser quem realmente somos”, diz o maestro Alex Klein, diretor artístico e idealizador do Festival.

Ele que reúne músicos profissionais e amadores do Brasil e exterior, terá também dois programas de estudo: Música Popular Brasileira e Música Antiga, essa última vai apresentar obras dos períodos barroco, clássico e colonial, com instrumentos da época.

(Foto: Divulgação/Femusc)

Espetáculos de alto nível artístico serão apresentados durante evento

Diariamente, o público poderá prestigiar diferentes apresentações divididas em quatro séries: shows de música popular (Série MPB), concertos de música barroca, clássica e colonial (Série Música Antiga), concertos orquestrais, óperas e música de câmara (Série Grandes Concertos), além de palestras informativas (Série Musicalmente Falando).

Na programação, além das comemorações do bicentenário da Independência e da Semana da Arte Moderna, estarão presentes obras de mestres da música erudita como W. A. Mozart, Antônio Vivaldi, Johann Sebastian Bach e grandes nomes da MPB como Djavan, Chico Buarque, Edu Lobo, Flavio Venturini e Dominguinhos.

Músicas e instrumentos do período barroco, clássico e colonial no evento

O Femusc 2022 terá programas de estudo centrados na Música Popular Brasileira e na Música Antiga, esta com ênfase nos períodos barroco, clássico e colonial.

“Esta edição do Festival chega em meio a tempos difíceis, com a pandemia de Covid-19 ainda açoitando o mundo, com instabilidades políticas e econômicas não só no Brasil como também em vários países. Porém, o que nos une desde o primeiro Femusc, em 2006, é o amor à música e nossa dedicação em trazer esta que é uma das mais antigas e mais valorizadas invenções da humanidade aos palcos de Jaraguá do Sul”, registra o diretor artístico Alex Klein.

(Foto: Divulgação)

O Programa de Música Popular traz a espontaneidade da música popular brasileira aliada à intelectualidade e disciplina necessárias para um festival de música de somente duas semanas de duração. Seus professores atuam regularmente nos mais importantes palcos da MPB no Brasil e exterior, registra Alex.

Já o Programa de Música Antiga tem seu foco no estudo de obras dos períodos barroco, clássico e colonial. Ele terá duas afinações: 415Hz para a orquestra barroca e 430Hz para a orquestra clássica, assim como as manifestações musicais de cada respectivo período. Serão utilizados instrumentos de época ou suas cópias fidedignas.

O público terá oportunidade de ouvir música antiga nos concertos do Femusc, do mesmo modo como ouviram os grandes compositores da música universal. E com instrumentos da época, ou similares.

“Esta edição terá regras estritas quanto aos cuidados de saúde devido à prevalência da pandemia de Covid-19. Será um festival pequeno, com somente 12 professores, 10 professores assistentes, e cerca de 110 participantes”, observa Alex.

Exames virais serão oferecidos regularmente a participantes do evento, máscaras serão obrigatórias, e o distanciamento social será aplicado a todos, indistintamente.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp! 

Notícias relacionadas

x