Geral

Ministério da Agricultura concede o selo SIF para a Cooperativa Juriti

Atualmente, o SIF tem atuação em mais de cinco mil estabelecimentos brasileiros

12/05/2022

Por

Ministério da Agricultura concede o selo SIF para a Cooperativa Juriti

Banco de Imagens/JDV/fevereiro 2022

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA) entregou para a Cooperativa Juriti o certificado do Serviço de Inspeção Federal, conhecido pela sigla S.I.F., responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal comestíveis e não comestíveis destinados ao mercado interno e externo, bem como de produtos importados. Atualmente, o SIF tem atuação em mais de cinco mil estabelecimentos brasileiros, todos sob a supervisão do DIPOA.

O selo surgiu quando foi editado o primeiro regulamento para a criação do serviço de inspeção dentro dos estabelecimentos processadores. Até receber o carimbo do SIF, o produto atravessa diversas etapas de fiscalização e inspeção, cujas ações são orientadas e coordenadas pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA), da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA/Mapa).

Todos os produtos de origem animal sob responsabilidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento são registrados e aprovados pelo S.I.F. visando garantir produtos com certificação sanitária e tecnológica para o consumidor brasileiro, respeitando as legislações nacionais e internacionais vigentes.

Para o presidente da Cooperativa Juriti, Orlando Giovanella, o S.I.F. foi concedido ao abatedouro de tilápia e entregue no final de abril. “Estávamos aguardando há tempo esse selo, o que faz com os produtos possam ser comercializados em todo o Brasil e também no exterior. “Todo o produto e a construção do abatedouro, que tem foco na produção, industrialização e comercialização do pescado teve o acompanhamento e aprovação prévia dos órgãos federais”, observou.

O abatedouro com cerca de mil m2 de área construída iniciou a operação em janeiro com a inspeção municipal, garantindo a venda somente para estabelecimentos da região. “Agora com o selo de inspeção federal (S.I.F.) entramos numa nova etapa. Nas embalagens constarão o carimbo e todas as características exigidas pela legislação federal.

Criação de tilápias é proposta para aumentar renda dos sócios

A ideia, a partir de agora, é ampliar a produção e, consequentemente as vendas, abrindo novos mercados, inclusive. Nesses meses iniciais, de adaptação, o abate e industrialização não alcançou a tonelagem projetada, mas agora, com o S.I.F. e a ampliação das fronteiras do mercado deve chegar a capacidade de processamento de cinco toneladas dia, até atingir em três anos 20 mil quilos/dia de tilápia processados.

A ideia de construir um abatedouro constava no plano estratégico aprovado em assembleia dos associados em agosto de 2019, quando foi apresentado o plano de negócio de peixes. A matéria prima, neste início, vem de associados e não associados, conforme o presidente Orlando, da Cooperativa Juriti, mas o objetivo é de que em breve todos os fornecedores sejam sócios do negócio. Será aceito sócios exclusivamente para o peixe, ou seja, não é preciso ser produtor de arroz para fornecer o peixe, mas será incentivado quem já é sócio para que aproveite área excedente na propriedade e crie tilápias para obter renda extra.

A unidade de pescado fica às margens da SC-108, na Área Industrial Zeferino Kuklinski, em Massaranduba. (Matéria produzida pelo JDV)

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x