Educação

MPSC denuncia autor de ataque a creche em Saudades no Oeste por 14 tentativas e cinco homicídios

Segundo o Ministério Público, na manhã do dia 4 de maio, havia 40 pessoas na creche. Desse total, 19 eram crianças e 21 eram adultos

21/05/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

MPSC denuncia autor de ataque a creche em Saudades no Oeste por 14 tentativas e cinco homicídios

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), denunciou Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, que matou três crianças e duas funcionárias da escola infantil Pró-Aquarela em Saudades, no Oeste catarinense.

Leia mais

Conforme o MPSC, o rapaz foi denunciado por cinco homicídios consumados e 14 tentados com três qualificadores: motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas.

Ainda, segundo o Ministério Público, na manhã do dia 4 de maio, havia 40 pessoas na creche onde Mai cometeu o crime. Desse total, 19 eram crianças e 21 eram adultos. 

De acordo com o produtor de Justiça, Douglas Dellazari, das 40 pessoas, 19 “tiveram de alguma forma a sua vida colocada em risco” e, por isso, o MPSC denunciou Mai por tentativas de homicídio. 

A denúncia foi enviada ao Poder Judiciário nesta sexta. Outro promotor de Justiça, Julio André Locatelli, disse que com a quebra de sigilo de dados, foi possível investigar o notebook do autor.

“Foi possível verificar e confirmar que esse planejamento já perdurava em torno de 10 meses”, disse Locatelli.

Para o Ministério Público, o autor tinha total controle e lucidez sobre os atos. 

“Tanto que planejou e idealizou. Não há dúvida razoável, para que se coloque em xeque a sanidade mental do acusado. Não há justificativa para o ato que ele cometeu. Não há elementos, o que denota que ele era perfeitamente são”, afirmou o promotor.

Assim como a Polícia Civil, o MPSC afirmou que o autor agiu sozinho e não falou para ninguém, nem mesmo na internet, que cometeria o crime. Os promotores também disseram, assim como o inquérito policial, que o jovem queria matar o máximo de pessoas possível.

Na sexta-feira (14), o delegado responsável pela investigação, Jerônimo Marçal Ferreira, afirmou que Mai tinha pressa e queria matar o maior número de pessoas

Mai deixou o hospital regional do Oeste, de Chapecó, algemado no dia 12 de maio e foi encaminhado ao presídio pelo Departamento de Administração Prisional (Deap).

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x