Nacional

Novembro Azul: campanha precisa ser mais bem esclarecida e explorada

A Campanha Novembro Azul é uma ótima oportunidade para se discutir outros assuntos que realmente terão impactos na saúde masculina

16/11/2021

Por

Novembro Azul: campanha precisa ser mais bem esclarecida e explorada

Divulgação

A estimativa de novos casos de câncer para os homens é muito desfavorável se comparada à das mulheres. Segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, nas doenças comuns entre homens e mulheres, com exceção das neoplasias malignas da pele não melanoma e do cólon e reto, nas demais doenças os homens superam todas as estatísticas negativas. Na traqueia, brônquio, pulmão, estômago e esôfago a diferença é altíssima, superando os 100% se comparados às mulheres. Nos dois tipos de cânceres mais conhecidos e divulgados, o da próstata supera o de mama feminina.

Outro fato relevante que merece reflexão por parte dos homens e da sociedade, é que o não cuidado com a saúde faz com que o homem viva até 10 anos a menos que a mulher e que a cada 5 óbitos de adultos 3 são de homens, apesar de toda a tecnologia e o avanço da medicina estar à sua disposição.

Para a Rede Nacional Masculina de Combate ao Câncer – Rede Nacional Saúde do Homem, cuja sede é Jaraguá do Sul, a campanha Novembro Azul é meritória pela necessidade e importância na conscientização dos homens quanto a prevenção do câncer de próstata, mas não se deve cometer sucessivos equívocos ao dar a conotação de que a saúde do homem se resume nessa glândula (próstata) localizada na parte baixa do abdômen.

Para o empresário Dúlcio Teodonir Lenzi Filho,  presidente  da Rede Nacional Saúde do Homem, a Campanha Novembro Azul é uma ótima oportunidade para se discutir outros assuntos que realmente terão impactos na saúde masculina, como prática de atividade física, os maus hábitos (uso de álcool e outras drogas, tabaco, etc), alimentação inadequada, a automedicação, os acidentes de trânsito por imprudência e a checagem dos níveis da pressão arterial e da glicemia e, principalmente, quando e porque se deve fazer o PSA.

O preconceito é o resultado da desinformação, pois a maioria dos homens consideram-se invulneráveis, evitam ir ao médico, talvez por medo de descobrir uma doença grave e também porque são mais otimistas em relação à própria saúde. Numa escala de prioridade na prevenção e/ou tratamento, o homem opta por cuidar bem da sua família, do seu imóvel, do seu carro, mas, não se cuida, a maioria deles acham que estão bem ou muito bem de saúde.

Rede masculina defende campanhas de impacto e mais informação

A Rede Nacional Saúde do Homem preconiza a importância e a necessidade da informação e da conscientização, como poderosas aliadas para mudar este quadro desfavorável, executando projetos específicos para meninos em idade escolar, para jovens, adultos e idosos.

Na Campanha Novembro Azul, além de se explorar o debate e a orientação sobre todas as doenças do homem, deve ser lembrada que a prevenção se faz o ano inteiro. As empresas e instituições públicas e privadas deveriam investir mais e melhor na saúde dos seus funcionários, afirma Dúlcio Lenzi Filho.

Precisamos, em parceria com as empresas e instituições públicas e privadas, de campanhas de impacto no ano inteiro e de levar a orientação aos homens trabalhadores, à população que vive na periferia e na área rural, de que a prevenção é a única e a melhor alternativa de se evitar doenças e não perder o melhor da vida, finaliza. Contatos com a Rede: redesaudedohomem@gmail.com.

Foto: Reprodução.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x