Política

Número fácil ajuda, mas não garante eleição de candidatos

Os três seguintes completam o número do candidato a uma vaga na câmara de vereadores.

15/11/2020

Por

Número fácil ajuda, mas não garante eleição de candidatos

Embora seja mais fácil de lembrar na hora da votação para vereador, o “bom número”, por si só, não garante mais votos e nem a eleição do candidato. Segundo especialistas em campanhas eleitorais, as numerações mais fáceis de serem gravadas pelos eleitores são usadas pelos “puxadores de votos” dos partidos, mas conteúdo é fundamental para quem busca a vitória nas urnas.

Conforme a lei eleitoral, os números dos candidatos são sorteados durante as convenções partidárias. Os dois primeiros algarismos sempre correspondem ao número da legenda. Os três seguintes completam o número do candidato a uma vaga na câmara de vereadores. A lei reserva ao candidato que já concorreu na eleição anterior o direito de manter  o mesmo número para a disputa do mesmo cargo.

Cada partido político tem suas regras para realizar o sorteio dos números dos candidatos, seguindo as orientações do manual de convenções partidárias. Na prática, observam consultores, a escolha leva em conta fatores como histórico do candidato e a possibilidade de trazer votos para legenda.

“Foi assim que o Tiririca [eleito deputado com a maior votação do país na eleição de 2010] conseguiu o número dele: 2222”, afirma Caio Manhanelli, consultor em marketing político.

“Se o candidato é novo, é difícil [ter bom número]. Quanto mais votos, mais militante, mais chance de ter um bom número. É uma negociação que depende de cada partido”, explica.

 

Os números dos partidos

A partir do momento que o partido encaminha ao Tribunal Superior Eleitoral o pedido de registro do seu estatuto, ele deve, no mesmo ato, informar tanto a designação (o nome), como a sua legenda e a numeração que será ele utilizará para se identificar na urna. Além desse critério normativo, também há uma limitação técnica do sistema da urna eletrônica.

Assim, não é admitida numeração de legenda inferior a 10. Isso significa que o partido não pode ter como número os algarismos de 0 a 9. Até porque poderia causar certa confusão no eleitorado para conseguir identificar, na urna, a numeração correta do partido. Então, tecnicamente são utilizados números de 10 para cima, desde que sejam também dois números inteiros, até 99.

Caso dois ou mais partidos requeiram a mesma numeração ao TSE, terá preferência a legenda que tiver seu processo julgado primeiro naquela Corte.

Por Celso Machado, Jornalista e Colunista JDV

Notícias relacionadas

x