Colunas

Para onde vai Moisés?

Segundo corre nos bastidores, tem as portas abertas no Republicanos e no PSC, partidos ligados a igrejas evangélicas.

01/08/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Para onde vai Moisés?

Por absoluta falta de espaço em legendas mais encorpadas politicamente, como MDB e PP, o governador Calos Moisés, que já deixou o PSL, deve desembarcar em um partido bem menor para tentar a reeleição.

Segundo corre nos bastidores, tem as portas abertas no Republicanos e no PSC, partidos ligados a igrejas evangélicas e com dois deputados (pastores) estaduais: Sérgio Motta (Republicanos) e Jair Miotto (PSC).

Tudo é possível

Moisés não terá, a princípio, apoio do PP, mesmo que empoleirado no seu governo, a exemplo do MDB. Especula-se nos bastidores que o PSD, vivendo crise interna com ares de irreversível, poderia compor com ele. E, aí, atraindo o PP. Porém, nesse caso, tudo vai depender dos interesses pessoais do senador Esperidião Amin. É certo que boi não voa e elefante não faz ninho. Mas no balcão de negócios nada é impossível.

Audiência remarcada

A audiência pública com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, dia 3 de agosto e voltada à discussão de recursos para rodovias federais em SC foi adiada. Para dia 23 ou 24, porque Freitas teria sido convocado pelo presidente Bolsonaro para uma viagem oficial no mesmo dia.

“Vamos colocar as cartas na mesa e definir a solução mais adequada e célere que atenda o interesse dos catarinenses que não aguentam mais essa novela da BR 470”.

Nem aí!

O discurso é do senador Dario Berger (MDB), pré-candidato a governador, sobre a audiência com o ministro Tarcísio Gomes de Freitas em agosto. Ignorando, olimpicamente e mais uma vez, o drama vivido pela região do Vale do Itapocu com as obras da BR-280, que não saem do lugar. Aliás, como faz a maioria da Frente Parlamentar Catarinense, com 16 deputados e três senadores.

Castração nos bairros

Prefeitura de Joinville vai oferecer a castração gratuita de cães e gatos. O diferencial é que o serviço será levado aos bairros da cidade em datas programadas, utilizando viaturas próprias já denominadas de “castramoveis”.

Um serviço que já funciona em várias cidades do país. Dois veículos, ao preço de R$ 323 mil, serão comprados ainda nesse semestre com recursos de emenda do deputado federal Rodrigo Coelho já depositados na conta do município.

Toque de Midas

Carlos Roberto Massa, o “Ratinho”, que deixou a política (foi vereador e deputado federal) para fazer fortuna com negócios nas áreas de comunicação, fazendas, cervejaria, café e tudo o mais que possa gerar lucros, levou uma boa impressão de Jaraguá do Sul na visita que fez ao município a convite do prefeito Antidio Lunelli (MDB), pré-candidato a govenador. Dono de 60 emissoras de rádio, Ratinho ganhou concessão para mais uma, agora em Jaraguá do Sul.

Rede de comunicação

Em SC o Grupo Massa é dono da Rede Menina FM. No Paraná, (além de rádios) das emissoras de TV Iguaçu (Curitiba), Tibagi (Apucarana e Maringá), Guará (Francisco Beltrão e Ponta Grossa), Cidade (Londrina) e Naipi (Foz do Iguaçu).

Todos os negócios geram cerca de três mil empregos e uma fortuna ao redor de R$ 500 milhões. Ratinho é pai do governador do Paraná, Carlos Roberto Massa Júnior (PSD), o “Ratinho Júnior”.

Notícias relacionadas

x